ECA discute criação de mestrado em divulgação científica

Na última sexta (14/6)  a ECA promoveu uma reunião com um grupo interdisciplinar formado por professores e pesquisadores da ECA, do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB), da Escola Politécnica (EP) e da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP para criação de Mestrado Profissional em Comunicação/Divulgação Científica ou Comunicação Pública da Ciência.

A proposta foi feita pela professora Maria Inês Nogueira, do ICB, e debatida pelos professores. Ficou decidida uma nova  reunião com a participação de representantes de  outras unidades, para aprofundar os debates e discussões para a viabilização do projeto.

Grupo interdisciplinar discute na ECA mestrado profissionalizante

Segunda a diretora da ECA, Margarida Kunsch, para que um projeto interdisciplinar seja aceito pela Universidade, é preciso que ele esteja oficialmente sediado em uma das unidades da USP e tenha a participação formal de outros institutos e faculdades. O professor Paulo Rogério Gallo, da FSP, defende que o mestrado seja sediado na ECA. “Se há alguma unidade que tem vocação para a comunicação é a ECA”.

A coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Informação (PPGCI), Asa Fujino, afirma que a postura da Pró-Reitoria de Pós-Graduação da USP é de incentivar a diminuição do distanciamento entre o contexto de produção científica e o contexto de uso dessa informação.

O professor do Departamento de Comunicações e Artes (CCA), Ricardo Alexino disse que está criando, em parceria com o professor Ciro Marcondes Filho, do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE), um curso de especialização em divulgação científica e completou: “Eu não gosto do termo ‘vulgarização’ ou ‘popularização’ da ciência. Acredito em democratização do conhecimento científico”.

Professoras Maria Inês Nogueira (ICB) e Margarida Kunsch (ECA) durante a reunião

Participaram do encontro a diretora Margarida Kunsch, a coordenadora do PPGCI Asa Fujino, o professor do CCA Ricardo Alexino, as professoras Maria Inês Nogueira, do ICB, e Roseli de Deus Lopes, da Escola Politécnica, o professor Paulo Rogério Gallo, da FSP, e três de seus orientandos, Carlos Teixeira, Vicente Sarubbi e Sophia Motta Gallo, além de Giovanni Eldasi, diretor da Inclutopia.

Criação de revista científica
Durante a reunião também foi proposta a criação de uma revista científica relacionada ao grupo interdisciplinar e à divulgação científica. A proposta foi apresentada por Eldasi, diretor da Inclutopia, que se responsabilizaria pelas questões editoriais, de publicação e registro da revista. A direção científica da publicação ficaria a cargo dos professores, que dariam seus pareceres e escolheriam quais artigos científicos seriam publicados.

Para a professora Margarida Kunsch, seria benéfico que a revista fosse publicada independente da implantação do mestrado.