ECA na Mídia: Ana Maria Tavares ganha retrospectiva com mais de 150 obras

Depois de quase 35 anos de sua primeira mostra individual, realizada na Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, a artista Ana Maria Tavares, do Departamento de Artes Plásticas (CAP),  volta para apresentar  No lugar mesmo: uma antologia de Ana Maria Tavares.

A mostra inaugurada no dia 19/11  ocupa sete salas do primeiro andar do edifício da Luz, assim como os espaços do octógono, lobby e corredores do mesmo piso.  A  exposição reúne mais de 160 obras da professora que, segundo a curadora Fernanda Pitta, rearticulam elementos fundamentais da produção da artista de 1982 até o momento presente. 

Fazem parte da antologia importantes trabalhos como Exit, Parede Niemeyer e Tapetes pretos para paredes brancas, obra exposta na individual de 1982. Estarão presentes também algumas séries de objetos escultóricos e trabalhos que propõem um diálogo crítico com o peso da experiência moderna no Brasil, como Purus e Negros (2014). Além daqueles que traçam paralelo com a experiência contemporânea como Enigmas de uma Noite com Midnight Daydreams, Desviantes, Mantras e Dominós. O trabalho intitulado Parede Loos ativa os corredores com listras pretas nas paredes como uma espécie de fio de Ariadne. No octógono, será projetada uma obra site-specific com espelhos que cobrem todas as laterais do espaço, do chão ao teto.

“A exposição é também uma grande intervenção da artista na arquitetura e memória do museu”, completa Pitta. Vale lembrar que a mostra vem continuar o ciclo de mostras dedicadas à revisão de carreira de artistas que iniciaram suas trajetórias no cenário brasileiro na década de 1980.

Leia aqui nota sobre a exposição publicada no Estadão.

 


Foto: Divulgação

 


Foto: Divulgação