ECA passa a receber projetos de iniciação científica sem bolsa em fluxo contínuo

No edital de iniciação científica sem bolsa para a vigência 2017/2018 havia a exigência de prazo para os orientadores enviarem a documentação necessária para a produção da pesquisa científica na ECA. No entanto, este ano a Comissão de Pesquisa da ECA optou por disponibilizar no Edital de iniciação sem bolsa de 2018/2019 a opção de receber os projetos em fluxo contínuo, sem data máxima estipulada para o envio dos projetos.

Cristiane Martins, secretária da Comissão de Pesquisa, explica que a opção pela mudança permite que os alunos que estavam com dúvidas sobre realizar um projeto de pesquisa durante o período que os editais com bolsa e sem bolsa estavam com as datas abertas para o envio agora tem um tempo mais amplo para decidir sobre o que desejam trabalhar, enviando o projeto no momento que seja mais viável para o orientando e o orientador.

Sobre limitar o tempo para envio dos projetos, Martins aponta que para alguns estudantes “limitar (a data) não é interessante”. Ela acredita que com esta mudança, ocorra envio de mais projetos e isso colabore para expansão da pesquisa presente na ECA. Sendo esta ação, mais uma forma de ajudar os alunos a entrarem no campo de pesquisa científica.

A diferença do edital vigente e do anterior se refere a questão do fluxo contínuo, o restante dos processos continuam os mesmos. É necessário que o orientador realize a inscrição do pré-projeto do estudante através do Sistema Atena, em seguida, o projeto é enviado à Comissão de Pesquisa da ECA, onde um parecerista analisará o projeto, aprovando ou não o desenvolvimento da pesquisa.

Para o envio do pré-projeto é necessário: o resumo escolar atualizado do aluno, incluindo as reprovações, se houver; currículo lattes do aluno, atualizado, publicado e enviado ao CNPq; e o Projeto Completo de Pesquisa, acompanhado de resumo de, no máximo, três páginas. A vigência do programa é de 12 meses, tendo início a partir da aprovação do projeto no Sistema Atena pelo parecerista.

O aluno interessado em participar do programa deverá estar regularmente matriculado em curso de graduação da USP; ser selecionado pelo orientador e apresentar bom desempenho acadêmico. Já orientador poderá orientar, no máximo, dois projetos de iniciação científica sem bolsa.