ECA recebe doação do acervo de Gianfrancesco Guarnieri

O Centro de Documentação teatral (CDT) da ECA recebeu a doação do acervo de Gianfrancesco Guarnieri, ator e dramaturgo ítalo-brasileiro. O arquivo é majoritariamente composto pela biblioteca do ator já falecido e conta também com documentos e manuscritos, alguns inéditos, que retomam a história do teatro brasileiro.


Guarnieri se consagrou como um dos maiores dramaturgos do país. Foto: Reprodução/Memória Globo

A coordenadora do CDT e docente do Departamento de Artes Cênicas (CAC), professora Elizabeth Azevedo, explica que os filhos do ator procuraram a USP para fazer a doação após o falecimento da esposa de Guarnieri, que até então era quem mantinha o acervo. Para Elizabeth, a doação irá proporcionar uma “fonte de pesquisa sobre a obra de Guarnieri e do teatro brasileiro em geral.”

Nascido na Itália em 1934, Guarnieri veio para o Brasil ainda jovem. Naturalizou-se brasileiro e ficou conhecido como um artista de grande destaque no Teatro de Arena de São Paulo. Dentre suas realizações mais notórias está a produção da peça teatral Eles não usam Black Tie, de 1958, que conta a história de um militante sindical que organiza um movimento grevista para resistir às práticas exploradoras de uma metalúrgica. A peça sofreu inúmeras adaptações e virou filme em 1981, dirigido por Leon Hirszman.

Como ator, Guarnieri participou de novelas que marcaram época, como Mulheres de Areia (1973) e Rainha da Sucata (1990). No cinema, o artista protagonizou O Grande Momento (1958) e participou da adaptação de Eles não usam Black Tie, encarnando o pai do personagem principal.

Nas palavras de Elizabeth, “Guarnieri é um dos maiores dramaturgos do moderno teatro brasileiro, membro do histórico Teatro de Arena. Foi também um ator muito ativo que atuou em diversos veículos, com destaque na televisão”. A professora também destaca o importante papel do CDT em preservar a cultura teatral do brasileira: “A atuação do CDT é fundamental diante da falta instituições que se dediquem à preservação da memória teatral e que contribuam para o desenvolvimentos das pesquisas”.

Com a doação, a ECA ganha ainda mais relevância no sentido de consolidar-se como "um centro para o desenvolvimento do conhecimento”, conclui a docente.