#ECAemCasa: para alegrar a quarentena, alunos de violino misturam música clássica e forró

Vídeo bem-humorado apresenta a “Quarentena de Mozart”, arranjo que une a Sinfonia nº. 40 do compositor austríaco e obra do acreano Chico Chagas

 

“Nosso intuito foi produzir um vídeo inclusivo que nos ajudasse como um grupo a enfrentar esse período com otimismo e companheirismo.” É assim que a professora Eliane Tokeshi, do Departamento de Música (CMU), resume a ideia por trás de Quarentena de Mozart, vídeo musical que acaba de ser lançado pela classe de violino. Inspirados por iniciativas semelhantes, a docente e os alunos decidiram realizar uma atividade que promovesse a aproximação durante o isolamento social, além de estimular o estudo e a criatividade. Para isso, escolheram como ponto de partida a obra do acordeonista e compositor Chico Chagas e a Sinfonia nº. 40 de Mozart. 

O projeto foi idealizado junto com Thiago Brisolla, ex-aluno de violino da ECA, responsável pelo arranjo da música e pela edição de áudio e vídeo, que envolveu um processo de preparação com todos os envolvidos. Essa preparação apresentou um desafio adicional, já que a composição exigiu efeitos sonoros específicos, que tiveram que ser aprendidos e treinados pelos músicos. “Em um encontro virtual de toda a classe escolhemos as partes para cada aluno, terminamos de formatar a proposta e combinamos detalhes da performance. Cada aluno estudou e gravou em sua casa as partes individualmente, mas também houve durante o processo muita troca de experiências”, explica Tokeshi. 

 

Quarentena, estudos e experimentação

Continuar as atividades didáticas e artísticas durante a quarentena é difícil não apenas por causa do isolamento social, mas porque seus efeitos são sentidos de maneira diferente por cada indivíduo. A professora ressalta a importância de levar em conta as “condições financeiras, sociais e emocionais” dos alunos quando explica como os estudos vêm sendo conduzidos: “tentando respeitar essas condições, estamos mantendo o contato de forma diversificada, por vídeos gravados, atendimentos on-line ou conversas por telefone.”

Além de aliviar a distância e promover a reflexão e a prática musical, projetos como o Quarentena de Mozart representam uma oportunidade de experimentação, permitindo o exercício de conteúdos que inicialmente não estavam previstos na grade curricular. “Alguns alunos da classe de violino transitam bem nos vários estilos da música. Apesar de a música popular não constar no programa do curso, existe o espaço para a performance e estudos nessa área, quando for do interesse do aluno.” A exploração do vídeo e de outros formatos musicais durante a quarentena deve seguir, segundo Tokeshi. "Continuaremos investigando formas de interação”. 

Confira a Quarentena de Mozart na íntegra: