Educomunicação faz viagem didática à Universidade Federal de Campina Grande

Entre os dias 1º e 6 de outubro, Denise Teófilo e Graciele Oliveira, alunas da Licenciatura em Educomunicação e Claudemir Viana, professor do Departamento de Comunicações e Artes (CCA), participaram de uma visita didática à Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), na Paraíba. Lá, eles conheceram o curso de Comunicação Social com Habilitação em Educomunicação, única outra graduação da área no país.

Com o objetivo de “viabilizar uma aproximação maior entre os dois cursos”, conforme afirma Claudemir, bem como de realizar um estudo mais aprofundado sobre as particularidades do curso da UFCG e comparar as grades das duas graduações, a visita integrou o programa Viagem Didática, da Pró-Reitoria de Graduação, que semestralmente financia viagens com propósito acadêmico para disciplinas da Universidade. Esta foi a primeira vez que o CCA foi contemplado pelo programa.

O roteiro, montado em conjunto com as duas coordenadoras do curso de Campina Grande, contou com uma programação extensa de atividades, que se iniciou no dia 2 de outubro. De acordo com Denise e Graciele, no primeiro dia, a comitiva visitou o campus da Universidade, onde conheceram as salas de aula e demais instalações e realizaram um encontro com os “feras” – alunos ingressantes em Educomunicação. Além disso, também conhecerem o Pedregal, comunidade próxima ao campus em que diversos alunos fazem estágios e desenvolvem projetos sociais.

No segundo dia, participaram do programa Revista Social, da Rádio Comunitária Lagar, em que dois ex-alunos do curso aplicam e discutem a educomunicação e promoveram uma videoconferência entre um grupo de alunos da UFCG e da disciplina de Epistemologia da Educomunicação, na ECA. Já no terceiro dia, visitaram a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) para conhecer os lugares em que os alunos de Educomunicação realizam seus estágios, como o Centro de Comunicações da UEPB e a TV Itararé, além de irem ao Parque Tecnológico de Campina Grande.


Denise Teófilo e Graciele Oliveira, alunas do Bacharelado em Educomunicação e Claudemir Viana, professor do CCA, na chegada à Campina Grande

No último dia de atividades, enfim, eles participaram do programa do YouTube 31 minutos, junto a dois professores da UEPB e encontraram docentes da UFCG para discutir a grade e o projeto pedagógico do curso, além de conversar sobre “perspectivas para o futuro e possibilidades de aproximação” com o curso da USP, como afirma Graciele. Por fim, falaram com egressos do curso sobre seus trabalhos de conclusão de curso (TCCs) e trajetórias após a formatura.

Segundo o docente, a viagem “foi muito proveitosa”, pela oportunidade de “conhecer mais à fundo o projeto pedagógico do curso, entrar em contato com estudantes, egressos, professores e ingressantes e constatar a qualidade da atuação profissional do educomunicador, bem como de conhecer a comunidade próxima ao campus, “onde o curso desenvolve vários projetos de intervenção”. “O mais significativo foi o contato humano,” afirma. “Nós já trocávamos ideias por Facebook e e-mail, mas não há nada como ir ao local para fortalecer essa relação. Acho que o maior ganho foi esse”.

“Era uma ânsia essa troca, de nós com eles e deles conosco”, comenta Denise. Para ela e Graciele, a melhor parte da viagem foi discutir pontos de vista diferentes acerca da Educomunicação e conhecer as pessoas, o ambiente e a cultura de Campina Grande. “Educomunicação é um curso que é moldado pelas perspectivas e realidades dos alunos, então essas características fazem com que o curso vá se adaptando”.

Elas apontam ainda a importância de conhecer os egressos e o banco de TCCs da UFCG, com mais de 100 títulos. “São 100 educomunicadores lá e 13 aqui, então nós acabamos pensando sobre quem é esse profissional educomunicador e como nós nos articulamos e nos fortalecemos enquanto classe,” pontua Graciele. “Foi como se toda essa troca de experiências abrisse o nosso olhar para novas possibilidades dentro da Educomunicação”.


Durante a gravação do programa 31 Minutos, na Universidade Estadual da Paraíba

O processo

De acordo com Claudemir, a ideia para a realização da visita surgiu quando ele recebeu um documento propondo a inscrição de projetos para o programa Viagem Didática, em 2015. “Eu fiquei muito interessado em promover essa ida à Campina Grande, porque nós já sabíamos da existência desse curso, similar ao nosso, mas não havia nada oficial no sentido de aproximar as duas Universidades” revela. “Eu senti que poderíamos aprofundar essa relação através do programa”.

Contudo, sua primeira proposta de participação foi recusada, porque o projeto pedagógico do curso não mencionava a necessidade de viagens didáticas, critério fundamental para que a Pró-Reitoria conceda a verba para as visitas. Assim, o departamento ajustou a proposta pedagógica e, a partir de 2016, Educomunicação passou a ter a viagem didática “como uma estratégia possível do curso”. Com essa alteração, o docente entrou novamente com o pedido no primeiro semestre de 2017, que foi recusado novamente.

A proposta de viagem foi finalmente aprovada no segundo semestre de 2017. Como as visitas contempladas devem necessariamente envolver tanto docentes quanto discentes, assim que o projeto foi aprovado, iniciou-se um processo de seleção para a escolha de estudantes que acompanhariam Claudemir até Campina Grande.

Foi oferecida uma vaga para alunos da disciplina Epistemologia da Educomunicação e outra para aqueles matriculados em Metodologia do Ensino de Educomunicação, oferecidas no primeiro e no terceiro ano do curso, respectivamente. Os interessados responderam à um formulário de inscrição e a avaliação dos candidatos foi realizada por um professor do curso e um profissional educomunicador externo.


Viagem à Campina Grande: troca de experiências e projetos futuros

Desdobramentos

Pensando na articulação dos resultados da viagem, Denise e Graciele produziram um diário de bordo em vídeo, disponível no YouTube, que traz excertos das atividades das quais participaram. Elas afirmam ainda que nos próximos dias devem disponibilizar entrevistas em vídeos com alguns dos alunos, docentes e egressos que conheceram na visita. Além dos vídeos, elas publicaram uma notícia no blog do Núcleo de Comunicação e Educação (NCE) e irão produzir um relatório oficial para documentar a viagem. “Foram alguns milhares de quilômetros para chegar até Campina Grande, então é muito bom poder registrar isso de algum modo”, comenta Denise. “E a viagem acendeu a curiosidade em tentar desmistificar para o público que tem interesse o que é a educomunicação”.

Não obstante, um seminário com professores de Campina Grande foi promovido na ECA na última semana, no qual foi apresentada uma síntese da história do curso e foram discutidas as grades das duas graduações e o mercado de trabalho do educomunicador.

Além destes desdobramentos mais imediatos, Claudemir afirma que a viagem proporcionou a formação de um comitê misto entre as duas Universidades, bem como de outros professores cujas linhas de pesquisa conversam com a Educomunicação, com o intuito de elaborar um documento para encaminhar o pedido de reconhecimento da carreira de educomunicação, “importante para viabilizar aos futuros profissionais maiores condições de empregabilidade”, segundo o docente.

Também, a viagem permitiu que o processo de assinatura de um convênio entre ECA e UFCG, iniciado há 4 anos, fosse retomado – importante para que as universidades possam realizar intercâmbios de docentes e discentes, além de abrir portas para a participação de professores em bancas de TCC, a promoção de eventos à distância e propostas de pesquisas conjuntas.

“Foi válido também porque atualizamos o projeto pedagógico do curso, realizamos a vista e agora estamos usufruindo de todos os desdobramentos que tiraremos disso tudo,” finaliza Claudemir.

 

texto: Victória Martins
Fotos: Denise Teófilo e Graciele Oliveira