Escritório USP Mulheres dirige pesquisa sobre experiências na USP

Alunos de graduação e pós-graduação que frequentaram a USP no ano de 2017 têm até o dia 9 de fevereiro para responder um questionário on-line sobre as suas experiências na vida acadêmica. No questionário, é possível afirmar o grau de satisfação ou insatisfação com as formas de tratamento e convivência entre colegas e na relação com professores, professoras, funcionários e funcionárias da Universidade.

Pesquisa Interações da USP pretende ter conhecimento sobre a qualidade das interações que ocorrem no cotidiano da Universidade, a regularidade com que ocorrem convivências negativas e quais as consequências para o ambiente acadêmico e para a saúde física e mental dos estudantes.

Diante dos resultados, espera-se que a comunidade universitária — estudantes, docentes e funcionários — possa elaborar, coletivamente, formas positivas de convivência e confrontação às formas negativas de convivência, proporcionando meios de elaborar políticas institucionais adequadas para lidar com essas situações.

O projeto é dirigido pelo Escritório USP Mulheres, dirigido pela professora Eva Blay, com a assessoria da socióloga Wânia Pasinato, da psicóloga Prislaine Krodi dos Santos e da estagiária Laiz Parpinelle Alves, no contexto da participação da Universidade no programa Impacto 10x10x10, do movimento #HeForShe da ONU Mulheres. A Pesquisa Interações na USP é coordenada pelo professor Gustavo Venturi, do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Conta ainda com a colaboração da Rede Não Cala! de professoras e pesquisadoras da USP, de coletivos feministas, negros, LGBT+ e indígenas da USP, e do engenheiro e cientista de dados Eduardo Capocchi. Tem o apoio da Pró-reitoria de Pós-Graduação, da Superintendência de Tecnologia da Informação (STI) e da ECA.

O questionário pode ser acessado aqui