Estudar no país de Mia Couto: agora o aluno da ECA pode

País de Mia Couto. Irmão colonizado do Brasil. Banhado pelo Oceano Índico. Esse é Moçambique, o novo país a ter convênio de intercâmbio com a ECA, oficializado na segunda-feira, 16 de setembro. A Escola Superior de Jornalismo de Moçambique (ESJ) é agora mais uma das possibilidades para os ecanos que desejam passar uma temporada no exterior. 

Localizada na capital, Maputo, a Escola existe desde 2008. Apesar do nome com enfoque em jornalismo, a instituição oferece formação em outros cursos na área de comunicação, como publicidade e propaganda, relações públicas e biblioteconomia. 

A professora Brasilina Passareli, do Departamento de Informação e Cultura (CBD) e diretora da ECA em exercício, participou do ato de assinatura do convênio, cuja coordenação ficarà a cargo da docente Maria Aparecida Ferrari, do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP). Por parte da ESJ, estiveram presentes os professores Tomas Jane, Catarina Alson Cumbe e Aurélio Prado Tinga.

O convênio tem duração de cinco anos e a quantidade de vagas a oferecer ainda será definida. O calendário acadêmico da ESJ é semelhante ao de universidades brasileiras. Em 2020, as aulas começam no dia 18 de fevereiro. 

Foto: Susana Sato