Evento celebra os 50 anos de fundação da ECA/USP

No dia 30 de agosto, a Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP realizou, no auditório do Centro de Difusão Internacional (CDI), um emocionante evento-confraternização em celebração aos seus 50 anos de existência, em que estiveram presentes a diretora, vice-diretor, os ex- diretores da Escola, professores, funcionários e alunos.

A abertura do evento foi marcada por uma belíssima apresentação de piano do vice-diretor da ECA, professor Eduardo Monteiro, do Departamento de Música (CMU).  Monteiro executou as peças "Impressões Seresteiras" de Villa-Lobos, "La cathédrale engloutie", de Claude Debussy e "Sonata n. 1 (1º movimento)", de Francisco Mignone.

                        

Na sequência os professores Margarida Maria Krohling Kunsch, Eduardo Monteiro,  José Marques de Melo, Waldenyr Caldas e Victor Aquino Gomes Correa dividiram com os presentes suas vivências ao longo dos muitos anos dedicados à instituição.

O professor José Marques de Melo recordou os grandes desafios que enfrentou durante sua gestão, que se deu em um período muito conturbado no país: época da implantação da nova constituição e de intensas modificações no cenário político brasileiro.               

Sua contribuição à ECA foi marcada por importantes realizações. Como por exemplo ter elevado a Escola  a segunda instituição com maior volume de produção acadêmica da USP e tê-la transformado em uma instituição de nível internacional, construindo pontes com outras escolas de comunicação pelo mundo. 

                    
 (esq. p/ dir.)  Os professores Waldenyr Caldas, José Marques de Melo, Margarida Maria Krohling  Kunsch, Eduardo Monteiro e Victor Aquino Gomes Correa.
 

O professor Victor Aquino Gomes Correa, por sua vez, compartilhou, de forma muito bem humorada, algumas de suas memórias da época de aluno e admirou-se com o fato de estar, na ocasião, na presença de uma de suas primeiras professoras na ECA, Nelly de Camargo, e de muitos colegas que não encontrava há tempos. 

Finalizando seu depoimento, dedicou um poema à todos que "envelheceram junto com ele" trabalhando na ECA.

Já o professor Waldenyr Caldas reforçou que tudo o que se vê hoje na ECA foi e continua sendo construído com muito esforço dos funcionários e professores. Relembrando a importância de diversos companheiros de trabalho que já se foram, pediu a todos os presentes que se juntassem a ele em um minuto de silêncio.

O evento homenageou a professora Maria Dora Genis Mourão, do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR),  atualmente  decana da ECA,  a mais antiga docente em atividade.

"Acho fundamental termos respeito pela trajetória da ECA, pelo que somos e conquistamos ao longo dos anos, e continuarmos lutando para  assegurar os melhores rumos para esta Escola dentro da contemporaneidade", afirmou a professora, em seu discurso de agradecimento.

                    
                (esq. p/ dir.) As professoras Margarida Maria Krohling  Kunsch e Maria Dora Genis Mourão 

Também foi homenageado Carlos Roberto de Sillos como o servidor técnico administrativo mais antigo em atividade na Escola.
 

                     
(esq. p/ dir.) A professora Margarida Maria Krohling  Kunsch e a funcionária Maria Socorro (Meire), representando Carlos Roberto de Sillos.

 

Em seu discurso de encerramento da cerimônia, a professora Margarida Maria Krohling Kunsch convocou a comunidade ecana a manter a posição de protagonista nas grandes transformações sociais, políticas, econômicas, que o nosso país e a sociedade tanto necessitam. "Devemos lutar por um mundo novo, de unidade e paz, e com mais justiça. Vamos festejar os 50 anos da nossa Escola, com serenidade, esperança, alegria e otimismo", concluiu a professora.

 

texto: Mariana Rosa
fotos: Eduardo Peñuela