Ex-aluna da pós-graduação, Nilda Jacks ministra curso sobre estudos de recepção

De 22 a 30 de outubro, Nilda Jacks, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), esteve na ECA à convite do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação (PPGCOM) para ministrar um ciclo de conferências sobre Estudos de Recepção. “Estou desenvolvendo um conteúdo que recupera a tradução dos Estudos de Recepção internacionalmente, na América Latina e, depois, tem algumas reflexões sobre os estudos no Brasil”, comenta a professora, “trabalhamos também com essa questão metodológica nesse tipo de estudo”.

De acordo com a professora, os estudos de recepção, ”ou seja, a preocupação que teóricos tiveram, desde o início, com o impacto, a influência, os efeitos de comunicação junto a audiência”, deram origem às primeiras teorias da comunicação que não foram sobre jornalismo. “Elas começaram a ser pensadas na década de 20 e eram sobre o impacto, a influência do rádio na população americana depois da Primeira Guerra Mundial”, diz.

Depois disso, outros estudos foram desenvolvidos sobre a questão da linguagem. Até que, nos anos 60, “tem uma perspectiva inglesa chamada Estudos Culturais que começou a pensar a importância do receptor no processo de comunicação”. A partir daí, a América Latina também começou a pensar sobre esse problema e desenvolveu os estudos latino-americanos.


A professora Nilda Jacks com a turma do curso sobre estudos de recepção. 

Nilda Jacks é graduada em Artes Plásticas e em Comunicação Social pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Fez mestrado e doutorado na ECA pelo PPGCOM com as pesquisas Mídia Nativa. Um estudo sobre a cultura regional do RS e sua relação com a indústria cultural e A recepção na Querência. Estudo da audiência e da identidade cultural como mediação simbólica. Atua, principalmente, em teoria da recepção, teoria da comunicação, identidade cultural, metodologia e recepção.