Percussivo USP usa rede social para divulgar atividades na quarentena

Integrantes do grupo, vinculado ao Departamento de Música (CMU) adaptam repertório ao isolamento social

 

Em um tradicional ano letivo na ECA, o Percussivo USP, grupo de percussão do Departamento de Música (CMU), estaria realizando sua temporada 2020 de concertos. Era assim que Christopher Alex, Débora Vieira, George Ferreira, Giulia Miglioranza, Renan Ladislau, Nath Calan e Marcelo Fogaça, atuais integrantes, imaginavam o decorrer deste ano.

 

A agenda completa de apresentações incluía a participação em um festival de música contemporânea, além dos habituais concertos em teatros e nos campi da USP. Até que, em março de 2020, houve uma “surpresa nada agradável para todos”. O percussionista Renan Ladislau conta que a agenda planejada para este ano foi praticamente cancelada. A medida é resultado do impacto da pandemia de covid-19 em inúmeras atividades do setor artístico e cultural.

 

Para manter a prática musical, o grupo teve que repensar suas atividades, incorporando ferramentas de comunicação online e produção de vídeos. O repertório online é formado por músicas que podem ser executadas à distância, fazendo uso não apenas de instrumentos tradicionais, mas também do corpo e de sons de objetos do cotidiano.

 

A experiência piloto foi publicada no dia 18 de abril. No vídeo, o percussionista Renan realiza uma versão solo de Music for Pieces of Wood, do compositor nova-iorquino Steve Reich. Em seguida, George, Giulia, Christopher e Renan interpretaram Living Room Music - Story, de John Cage. Nesta execução, o enfoque está em sons do cotidiano escolhidos livremente pelos artistas.

 

Protagonismo das mãos e o uso de máscaras de proteção descrevem o cenário instaurado pela pandemia. Estes elementos também marcam a interpretação de Musique de Table, uma coreografia de mãos do compositor belga Thierry de Mey, realizada por ex-integrantes do Percussivo USP. O vídeo foi a terceira produção realizada em isolamento social.

 

Atualmente, o grupo está preparando o vídeo de Melody, outro movimento da obra Living Room Music.

 

 

 

Imagem do vídeo de Table Music. Imagem: Reprodução/Facebook

 

 

Desafios de um novo fazer musical 

 

A produção virtual foi a alternativa encontrada para manter a arte em exercício. O grupo já divulgava seu trabalho nas redes sociais por meio de registros dos concertos, mas Renan explica que “não eram produções novas diretamente pensadas para este formato de acesso ao público via internet”. Ele comenta que o novo formato é fruto da experimentação e do prazer que os integrantes do grupo têm em fazer música juntos.

 

O novo fazer musical é permeado por desafios técnicos e sociais. Entre eles, o integrante cita a não familiaridade com programas de edição de vídeo, a falta de equipamentos adequados para captação de som e a ausência de isolamento acústico.

 

Fora do ambiente universitário, os desafios sociais são intensificados com a adaptação de rotinas ao lar. “Todos do grupo tiveram que adaptar sua agenda de estudos e de trabalho ao que estão vivendo em casa”. Alguns precisam conciliar a vida universitária com uma carga maior de tarefas e responsabilidades, que inclui o cuidado de crianças da família em alguns casos.

 

Os estudantes sabem que a retomada das atividades presenciais não será um sinônimo de normalidade. Renan afirma que será preciso modificar o repertório, adaptando o formato de concerto às medidas de distanciamento social. Até lá, o grupo pretende dar continuidade à produção online que está em curso, buscando melhorias técnicas que possam tornar a produção em vídeo mais uma das ferramentas de prática e experimentação musical do Percussivo USP.

 

 

Sobre o Percussivo USP

 

O Percussivo USP foi criado em 2007 como atividade complementar para estudantes do curso de Bacharelado em Percussão e tem como diretor artístico e pedagógico o professor Ricardo Bologna, do CMU. Para saber mais detalhes sobre a história do grupo, clique aqui. Aproveite e siga a página do grupo no Facebook.

 

 

 

Durante a quarentena, outros grupos, estudantes e docentes do CMU têm realizado uma série de atividades. Para conhecer outras produções do CMU na quarentena, clique aqui.