INTERCOM 2016: 50 anos da ECA

No dia 5 de setembro, o auditório do CDI-USP foi palco da "Mesa ECA 50 anos" , um dos eventos da Intercom 2016. O tema do debate foi às contribuições da Escola para o pensamento democrático das comunicações e artes. A mesa  foi coordenada pelo jornalista Sérgio Gomes e pela diretora da ECA, professora Maria Margarida Krohling Kunsch.

Ao longo do debate, Sérgio e Margarida contaram um pouco sobre a história da Escola de Comunicações e Artes. Fundada em 16 de junho de 1966, mas que só teve os primeiros cursos em 1967.

Sérgio, que já foi aluno e professor da ECA, contou sobre o período em que a faculdade teve um grande destaque, a Ditadura Militar Brasileira. “A ECA foi um símbolo da resistência na Ditadura.” Além disso, ele contou sobre as contribuições dos alunos para a formação curricular da Escola e a barreira de alguns professores: “os professores não estavam acostumados com alunos que queriam mais”

A professora  Margarida falou sobre a formação da ECA, que nasceu com o nome de  Escola de Comunicações Culturais. O pioneirismo da Escola na pós-graduação, porque a ECA foi à primeira instituição a ter um curso de ciências da comunicação, nesse nível de formação. Ainda, Margarida falou da importância da Escola: “a ECA foi paradigmática em suas áreas”.

Mesa de debate teve a apresentação de outros eventos que comemoram os 50 anos da ECA, como a semana do jornalismo. Que será realizada em abril de 2017. Margarida encerrou o evento com uma frase emblemática: “os 50 anos (da ECA) não é só para comemorar e celebrar. Mas, também, para refletir os futuros das novas gerações”. 

 

 

Texto: Murilo Silberman ( FIAM)
Foto: Eduardo Peñuela