Livro de aluna da ECA sobre sexualidade feminina vence prêmio Expocom Sudeste

O trabalho de conclusão de curso Amulherar-se: o repertório passado de mãe para filha na construção da sexualidade feminina, de Gabriella Garcia Sanches Feola, ex-aluna de jornalismo da ECA, ganhou o primeiro lugar na premiação da Expocom (Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação) da Intercom Sudeste 2018, na categoria Jornalismo, subcategoria de livro-reportagem.

Gabriella foi orientada pela professora Eun Yung Park, do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE), para o projeto que resultou no livro Amulherar-se.


Versões impressas do livro Amulherar-se: o repertório passado de mãe para filha na construção da sexualidade feminina, de Gabriella Garcia Sanches Feola. Foto: Divulgação

Amulherar-se conta as histórias de mães e filhas de quatro famílias reais. Larissa não queria que a mãe sofresse com os comentários homofóbicos da cidade pequena. Beatriz tinha desejos sexuais e sentia que era pecado. Lola, sua mãe e sua filha não sentiam que eram as mulheres que deviam ser. E Maria José criou as filhas para serem fortes.

A intenção era falar de situações simples do cotidiano para mostrar como a construção da sexualidade acontece o tempo inteiro. “Porque as filhas crescem e começam a reeducar a mãe e começam a se reeducar por outras maneiras”, explica Gabriella, usando como referência as histórias do livro.

A jornalista conta que antes de entrar na universidade, não entendia por que as revistas masculinas eram tão diferentes das revistas femininas. “Eu era inconformada que o meu irmão tinha revistas VIPs, eu adorava ler as VIPs dele e achava muito chatas as revistas femininas”, conta.

Já estudando jornalismo, Gabriella começou a escrever sobre sexualidade e passou a entender o feminismo de uma maneira mais crítica, algo que não circula de forma igual entre todos na sociedade. Desse modo, ela desejava ter uma base para discussão. “Porque, às vezes, a gente fala uma coisa e acha que está óbvio”, mas nem sempre faz sentido para todo mundo. “Eu queria que a minha mãe pudesse enxergar o que eu enxergava em termos que não fossem da bolha também”, conclui.

Amulherar-se ficou entre os finalistas juntamente com os livros As contribuições do repórter Altino Correia para o jornalismo regional, de Anne Abe, Confrontos Urbanos: casos skinheads de Mogi das Cruzes, SP, de Lilian Pereira, Estilhaços – a violência contra mulher em perfis, de Luana Mota, e Quitérias, de Manuela Rocha.

A obra premiada na etapa regional vai ser apresentada na etapa nacional, que acontece em Joinville, Santa Catarina, em setembro deste ano.