Nota de pesar pela morte de Paulo Henrique Amorim

O Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE) manifesta o seu mais profundo pesar pela morte do jornalista Paulo Henrique Amorim, ocorrida na manhã deste dia 10 de julho, em decorrência de um infarto.

Jornalista polêmico, mantinha o portal "Conversa Afiada", em que tratava de politica e economia, fazendo críticas ácidas aos setores conservadores da política brasileira. Também crítico da mídia hegemônica, foi Amorim quem criou a sigla PIG (Partido da Imprensa Golpista) para designar a posição da maior parte dos órgãos de comunicação brasileiros que, segundo ele, atuavam como um "partido político" que fomentava atitudes golpistas contra os governos petistas. Ainda no campo da mídia alternativa, PHA (como era conhecido) foi um dos articuladores dos encontros de "blogueiros progressistas" que se realizam periodicamente com a presença da maior parte das iniciativas de mídia alternativa que se produz na internet.

Fora da mídia alternativa, Amorim também teve uma carreira importante na mídia comercial. Foi correspondente em Nova York da antiga revista Realidade, da Editora Abril, passou pela revista Veja, TV Globo e Bandeirantes. Foi na revista Veja, com a reportagem intitulada "A renda dos brasileiros" que ele ganhou o Premio Esso de Jornalismo. De 2003 para cá, estava na TV Record, onde apresentava o jornal da emissora e o programa Domingo Espetacular. Em junho, foi afastado dos programas da emissora em função dos seus posicionamentos políticos de críticas duras ao atual governo brasileiro, fato que motivou várias manifestações de jornalistas pelo caráter de perseguição ideológica e censura.  

Paulo Henrique Amorim deixa dois filhos e uma neta e sua esposa, a jornalista Georgia Pinheiro. E também deixa como legado a necessidade de um jornalismo comprometido com a democracia e a justiça social, contra as formas de censura impostas pelo poder econômico e político, do qual foi vitima recente com o seu afastamento dos programas da TV Record. 

Imagem: TV Record/Divulgação