O futuro da Educomunicação na voz das crianças e adolescentes

Jovens educomunicadores esbanjaram talento e criatividade no VII Encontro Brasileiro de Educomunicação,  que teve como tema  Mídia e alfabetização midiática: novos paradigmas para o diálogo intercultural.  O encontro apresentou o relato de crianças e adolescentes, de 6 a 18 anos, e  a visão deles sobre o conceito  de Educomunicação em diferentes níveis midiáticos. 

O primeiro relato trouxe a experiência da Rádio Cartola projeto  da EMEI Cartola, localizada no Jardim Angela, Campo Limpo,  e teve início em 2011.  A Rádio Cartola  hoje Imprensa Mirim   é uma das escolas de educação infantil pioneira a utilizar o conceito da Educomunicação em São Paulo e trouxe os “repórteres”  Henrique, de 6 anos,  Débora, de 9 anos,  e  Daniela, de  8 anos, que integram a equipe  da Rádio. 


Os repórteres da Imprensa Mirim

A experiência do Educom.geraçãocidadã.2016, apresentado pelas alunas Clarice Villari, do Colégio Dante Alighieri e Maria Eduarda, do CEU-EMEF Casa Blanca, mostrou um  projeto interinstitucional unindo alunos de uma escola pública e de uma escola particular. O resultado do trabalho originou o vídeo  #AceitaTodos #PorUmMundoMelhor.   Este vídeo foi apresentado, pelas alunas,  no Conselho de Comunicação Social,  no Congresso Nacional, em Brasília, no dia 7/11,  durante o Seminário sobre Comunicação e Educação.  Segundo o professor Ismar de Oliveira Soares, membro do Conselho, foi a primeira vez que duas jovens adolescentes falaram em um espaço como o Senado, sobre um tema que interessa a toda a sociedade brasileira.
 

Desenvolvido pelo Colégio Bandeirantes, o Idade Mídia é um projeto que implantou na grade de programação do ensino médio as práticas educomunicativas no currículo.  O colégio é um dos poucos em São Paulo a trabalhar com as análises de mídia e a produção comunicativa, que na opinião das  adolescentes  que apresentaram o projeto,   foi uma experiência "transformadora".

A Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicadores (RENAJOC)  participou do debate, via conferência Skype, e falou sobre a experiência dos jovens cariocas nas práticas educomunicativas.

Os jovens  Breno Dias e Vania Correia falaram sobre  a  Plataforma do Centros Urbanos, ligada a Unicef  e parceira  da  revista Viração, na produção do vídeo Resistir para Existir.  O vídeo gravado na Praça da Sé,  Brasilândia  e na Cidade Tiradentes   expõe a triste realidade  dos jovens que sofrem  o preconceito  de raça, genêro ou classe social.   


Breno Dias e Vânia Correia 

O evento para o professor Ismar de Oliveira Soares,  do Departamento de Comunicações e Artes (CCA),  foi um momento histórico, onde por 5 horas os participantes puderam ouvir as experiências de jovens de diferentes idades, sobre as práticas educomunicativas.  O resultado vem corroborar as pesquisas e os estudos da ECA, nos últimos 15 anos sobre a Educomunicação.

Ouça aqui a entrevista do professor.

O DT 01 – Vozes da Infância e da Juventude: experiências em alfabetização midiáticas, informacional  foi coordenado pelos alunos de Licenciatura em Educomunicação, da ECA,  Tatiana Garcia de Carvalho e Adriano Augusto Vieira Leonel,   e    integrou a Semana Global de Alfabetização Midiática e Informacional - Global MIL Week 2016, como parte das comemorações do cinquentenário da ECA,  promovido pela UNESCO, USP e Departamento de Cinema, Rádio e Televisão, nos dias 2 a 5 de novembro, na ECA/USP.

 

 
 

 

Texto: Maria Eugênia Gouveia
Foto de capa:  
Educom.geraçãocidadã.2016  e : Eduardo Peñuela