O que há de novo no ensino de Biblioteconomia? Livro discute os principais tópicos

O volume II da série "Tópicos para o ensino de biblioteconomia" foi organizado por professores do Departamento de Informação e Cultura (CBD)

 

A revolução tecnológica do século XXI transformou o modo como as pessoas trabalham, estudam e convivem em sociedade. Mudou as escolas e universidades, as bibliotecas e a gestão da informação. E, consequentemente, o curso de Biblioteconomia. No novo livro Tópicos para o ensino de biblioteconomia: volume II, os professores Francisco Carlos Paletta e José Fernando Modesto da Silva, do Departamento de Informação e Cultura (CBD), apresentam reflexões sobre o conteúdos ministrados no curso de graduação em Biblioteconomia da ECA.

O objetivo é colocar em debate a formação e o exercício do profissional bibliotecário, que precisa se adaptar constantemente. "É  sabido que  a  velocidade  das  mudanças  tecnológicas  influi  nas mudanças  sociais  e  econômicas,  e  requerem  constante  adaptação  dos bibliotecários no desempenho de suas atividades em um mercado de trabalho que requer bom preparo formativo dos profissionais", escrevem os organizadores na apresentação do livro. 

Em seu segundo volume, a série Tópicos para o ensino de biblioteconomia serve como referência para alunos e professores em todo o Brasil. A proposta é que a coleção seja uma obra aberta e contínua, a par das discussões inerentes ao curso. 

Acesse o primeiro e o segundo volume da série.

tópicos-biblioteconomia-eca-uspAvanços tecnológicos fazem da Biblioteconomia uma área em constante transformação. Foto: Mariana Chama

Repensando o profissional da informação

Na mesma linha de atualização e inovação no curso de Biblioteconomia, o professor Paletta desenvolveu a pesquisa Competências e habilidades digitais na formação e nos perfis profissionais da Ciência da Informação no Brasil entre 2013 e 2018, em parceria com o professor da Universidade Carlos III de Madri, Jose Antonio Moreiro Gonzalez.

De agosto a novembro de 2019, os pesquisadores estudaram as novas exigências para os profissionais da informação, tendo como base ofertas de emprego em plataformas digitais e em editais publicados por órgãos públicos. Para saber mais sobre a pesquisa, leia esta matéria