OCAM é finalista do Grande Prêmio Concerto 2020

Premiação destaca as melhores produções da música de concerto; vencedores serão escolhidos por meio de votação popular on-line

 

A Orquestra de Câmara da ECA é uma das finalistas do Grande Prêmio Concerto 2020 – Reinvenção na Pandemia. A premiação ocorre anualmente, destacando as melhores produções de música de concerto do ano. 

Em 2020, com os cancelamentos das temporadas presenciais, um júri de críticos e especialistas selecionou propostas que inovaram a maneira de se pensar e executar a música de concerto durante a pandemia de covid-19. 

A OCAM foi escolhida pelos projetos audiovisuais realizados neste ano, que utilizam a arte para conectar pessoas e promover reflexões sobre o atual cenário. Lançado em maio, o primeiro videoclipe traz um arranjo do clássico Trenzinho Caipira repleto de referências à música popular brasileira para transmitir uma mensagem de união no combate ao vírus. 

A segunda produção, Espero que Nomes Consigam Tocar, se inspirou no projeto Inumeráveis – memorial que mostra as histórias de vida por trás das estatísticas da pandemia – para fazer uma homenagem as vítimas da covid-19. A música e o clipe contaram com a participação do Coro de Câmara Comunicantus e do Coral da ECA, além dos músicos Bráulio Bessa, Neymar Dias e do cantor Chico César.

Os vencedores do Grande Prêmio Concerto 2020 serão escolhidos pelo público por meio de votação virtual até o dia 18 de dezembro. Para votar, basta acessar este link

 

Imagem do videoclipe Espero que Nomes Consigam Tocar

Imagem do videoclipe de Espero que Nomes Consigam Tocar, lançado em setembro deste ano. Foto: reprodução / canal da OCAM no Youtube. 

 

Docentes, alunos e ex-alunos da ECA se destacam em outras categorias

Organizada pela professora Flávia Camargo Toni, do Programa de Pós-graduação em Música (PPGMUS), a nova edição da Edusp para Ensaio sobre Música Brasileira, de Mário de Andrade, é finalista na categoria CD, DVD ou livro. 

Na categoria Jovem Talento foram indicados José Soares, regente e aluno do curso de composição do Departamento de Música (CMU), e o sopranista Bruno de Sá, egresso do departamento.