Passeando pelos retratos humanos: Luiz Cláudio Mubarac, um apaixonado pelo desenho

Luiz Cláudio Mubarac, professor do Departamento de Artes Plásticas (CAP), nutri a paixão pelo desenho e pela retratação humana desde o berço. Formado em 1982 em Artes Plásticas pela ECA, Mubarac frequentou como bolsista o Atelier Tamarind Institute, nos Estados Unidos, em 1993; o London Print Workshop, na Inglaterra, em 1994, e o Civitella Ranieri Center, na Itália, em 1996. Aprimorou-se para, desde 2004, ser um dos mais renomados professores da ECA.

                                       

Como gravador, sua produção destaca-se pelas recorrentes imagens do corpo humano e as referências à história da gravura. “Sempre me interessei pelo desenho da figura humana e por desenvolver uma ideia de retrato. Acho que meu trabalho, nos últimos vinte e tantos anos, tem sido essa busca por um diálogo entre a construção de figuras pelos processos da gravura, mas também de suas possibilidades de impressão, e a própria história da estampa no Ocidente, que é um imenso manancial sobre o corpo sob muitos escrutínios”, analisa o professor. “O corpo humano tem sido desenhado e gravado desde o Renascimento por razões de toda ordem, artística, científica, mística, etc., sendo que todas essas frentes me interessam”, aponta.

                                   
                                        Da suíte sobre os fluxos, 2008. Gravuras em metal. 73 x 42 cm.

Cláudio Mubarac apresenta toda esta sua arte na exposição “Estandartes e Fábulas”, na Galeria Mezanino. A realização é feita em parceria com o colega Ulysses Bôscolo, formado na FAAP e pós-graduado na ECA. “Conheci o Ulysses nos ateliês de gravura da FAAP, nos anos 90, onde fui seu professor. Há alguns anos atrás fui seu orientador no mestrado em poéticas visuais na ECA e hoje, somo amigos, que dividem a paixão pelo desenho e suas extensões”, diz Mubarac, dizendo-se muito grato com a oportunidade. “A exposição surgiu de um convite de Renato de Cara, que é o coordenador e curador da Galeria Mezanino, pela qual somos ambos representados e os conjuntos de trabalhos e formatos da exposição foram sendo discutidos por todos nós, em reuniões na galeria e em visitas aos ateliês”, explica.

Na exposição, Mubarac apresenta a suíte "Sobre os Estandartes", com papéis variados procedentes de várias partes do mundo e a suíte "Sobre os Ícones", impressões em chapa de chumbo, com folhas de ouro, prata e bronze; já Ulysses Bôscolo apresenta a série "Os Olhos da Montanha Encontram o Sol", xilogravuras em papel Kozo, além de vários estojos/álbuns de madeira. A exposição vai até o dia 14 de novembro e o horário de visitas é de terça a sábado, das 11h às 19h.

                   

Serviço

Exposição Estandartes e Fábulas, de Cláudio Mubarac e Ulysses Bôscolo

Data: de 20/10 a 14/11

Horário: das 11h às 19h, de terça a sábado

Local: Galeria Mezanino – Rua Cunha Gago, 208 – Pinheiros, São Paulo (SP)

 

Texto: Felipe Ruiz
Fotos: www.gravura.art.brwww.galeriamezanino.com