Com 120 carros em marcha à ré, professor de Artes Cênicas realiza performance contra negacionismo do governo

Trabalho de Antônio Araújo foi elaborado em parceria com o artista plástico Nuno Ramos e filmado pelo cineasta Eryk Rocha

 

Na noite fria do último dia 4 de agosto, 120 carros ocuparam duas faixas da Avenida Paulista em uma espécie de “anticarreata”. Deslocando-se em marcha a ré da Rua Pamplona até a entrada do Cemitério da Consolação, os veículos participaram de uma performance-protesto concebida por Antônio “Tó” Araújo, professor do Departamento de Artes Cênicas (CAC) e diretor do Teatro da Vertigem.  

"O movimento para trás representa o retrocesso civilizacional que a gente está vivendo. É um cortejo em memória das vítimas da covid-19", diz o docente e artista. Criada em colaboração com o artista plástico Nuno Ramos, A Marcha à Ré foi registrada pelo cineasta Eryk Rocha e dará origem a um curta-metragem. A obra foi comissionada pela Bienal de Berlim, que inicia sua décima primeira edição em setembro. 

"Originalmente, a performance seria em Berlim. A gente produziria uma procissão antifascista, pela liberdade de expressão e o livre pensamento, que percorreria uma avenida da cidade e terminaria em uma praça. Mas então veio a covid e não foi mais possível viajar. Refizemos o trabalho, agora dialogando com São Paulo e com o momento do Brasil", explica Araújo. 

Ao som amplificado de respiradores mecânicos em uma UTI, o protesto contou com carros fúnebres abrindo e fechando a carreata. No final, o trompetista Richard Fermino executou ao contrário o Hino Nacional no alto do pórtico do Cemitério da Consolação. No mesmo momento, o pórtico serviu como moldura para a reprodução de uma das telas da Série Trágica (1947), de Flávio de Carvalho.  

Um retrato dos últimos dias de vida da mãe do artista, a tela da Série Trágica faz alusão à agonia das vítimas de covid-19. Segundo Nuno Ramos, outra obra de Carvalho, a Experiência nº. 2 (1931), foi uma inspiração para a performance. Nela, o artista caminha no sentido contrário a uma procissão de Corpus Christi. 

Para saber mais sobre a performance A Marcha a Ré e conferir um vídeo com o registro da ação, acesse a matéria publicada no Portal UOL

 

Nuno Ramos, Antônio Araújo e Eryk Rocha

Nuno Ramos, Antônio Araújo e Eryk Rocha; ao fundo, retrato da mãe de Flávio de Carvalho em agonia. Foto: Paulo Sampaio/ UOL 

 

Com informações do UOL