Docentes da ECA participam de site em defesa da ciência

Reunindo professores da USP e de outras instituições, A Terra é Redonda quer combater a anticiência

 

Tendo em vista o fortalecimento recente, no Brasil e no mundo, de movimentos anticientíficos – como os defensores de que a terra é plana, os chamados “terraplanistas”, e os contrários às vacinas , um grupo de professores da USP e de outras universidades criou o site A Terra é Redonda, um espaço para a expressão da academia brasileira contra o pensamento que nega a ciência.

Editor-adjunto do site, o professor Ricardo Musse, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), explica o nome escolhido para o projeto, destacando como o terraplanismo tornou-se uma metáfora para a anticiência em geral: “terraplanismo é a ideia de que tudo é opinião e não há um saber que possa ser comprovado, e hoje estamos vendo isso na saúde, na economia, no dia a dia. É uma ideologia apartidária. Há terraplanismo de direita, de centro e de esquerda, e somos uma oposição a essa forma de pensar.”

Docentes da USP participam em peso do site, que conta com nomes de diversas unidades da Universidade. A ECA marca presença com as colaborações de Eugênio Bucci, do Departamento de Informação e Cultura (CBD), Marília Fiorillo, do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE) e Celso Frederico, do Departamento de Comunicações e Artes (CCA). 

 

Capa do site A Terra é RedondaSem fins lucrativo, site A Terra é Redonda já conta com quase 40 colunistas fixos e mais de 250 autores publicados, cujos textos enfocam temas ligados à política, economia, cultura e sociedade. 

 

O site surgiu em outubro do ano passado, contando com o apoio de importantes intelectuais brasileiros e estrangeiros, como  Marilena Chauí e André Singer, da FFLCH, o economista Luiz Carlos Bresser Pereira, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), e o filósofo Michael Löwy, do Centre National de la Recherche Scientifique, de Paris, na França. Hoje, os colaboradores incluem “desde alunos de graduação a Professores Eméritos de universidades de praticamente todos os Estados do Brasil e também do exterior”, conta Musse. 

O projeto conta ainda com professores das Universidades Federais do Rio de Janeiro (UFRJ), da Paraíba (UFPB), de Minas Gerais (UFMG) e do ABC (UFABC). A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) também entra na lista, com professores como Armando Boito e Fernão Ramos.

A Terra é Redonda tem seu próprio podcast, apresentado por professores que aprofundam assuntos abordados no site e trazem novos temas para discussão. No episódio Uma Agenda Oculta, publicado em 25 de maio, os professores Eugênio Bucci e Leonardo Avritzer, da UFMG, comentam a reunião ministerial de 22 de abril. Segundo o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, a reunião contém provas de que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal.   

Além das colunas e artigos de colaboradores, o site traz as séries Literatura na Quarentena e Cinema na Quarentena, com dicas culturais para ajudar as pessoas a enfrentar o isolamento social. O site também reproduz textos de autores nacionais e internacionais, como Antonio Candido e Antonio Gramsci, e publica traduções de obras de autores como Thomas Piketty e David Harvey. 

Para visitar o site, clique aqui.

 

Com informações do Jornal da USP