Professores do CBD são escolhidos para integrar Instituto de Estudos Avançados da UNICAMP

No último dia 18 de dezembro foi lançado o Instituto de Estudos Avançados (IdEA) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Situado próximo à reitoria da universidade, o IdEA tem como objetivo propor reflexões interdisciplinar e colaborativa sobre diferentes temáticas do conhecimento, estimulando o desenvolvimento científico no Brasil. Entre os escolhidos para fazer parte do Conselho Científico e Cultural do IdEA, estão Eugênio Bucci e Martin Grossmann, ambos professores titulares do Departamento de Informação e Cultura (CBD)

Em entrevista à TV UNICAMP, Carlos Vogt, presidente do Conselho Científico e Cultural do IdEA, explica que o conselho é formado por profissionais que possuem alto desempenho na área acadêmica, intelectual e empresarial. “Este núcleo inicial pretende representar um princípio de formação de constituição que devemos, digamos, preservar e levar adiante, de modo que as discussões estejam representados os atores sociais, intelectuais e empresariais chaves para a discussão de temas dessa natureza”, pontua. A lista completa de integrantes do Conselho Científico e Cultural do IdEA está disponível no site da UNICAMP.

Grossmann explica que a ideia de criar institutos deste tipo dentro das universidades, mesmo sendo algo recente, é fundamental para “trabalhar as convergências dos saberes, conhecimentos e pesquisas”. Outro ponto abordado pelo docente é a importância que os institutos têm de não somente promover o desenvolvimento de pesquisas, como também ser um meio de “facilitar essa relação, esse trânsito (de conhecimento) entre as universidades”.

Para o docente, a sua presença e de Eugênio Bucci no Conselho Cultural e Científico do IdEA mostra que “há uma real vontade das universidades de trabalharem em conjunto, em rede”, sendo essencial que a ação das universidades não sejam baseadas somente na disputa em rankings, e sim que possam atuar de forma conjunta, resultando num maior impacto positivo na sociedade. “Os Institutos Avançados são fundamentais plataformas de pensar a universidade”, conclui.

Desde 1986, a USP possui um Instituto de Estudos Avançados (IEA) que possibilita estudos sobre instituições e políticas públicas (nacionais, estaduais, municipais e até supranacionais). Além dos estudos, o IEA contribui para o intercâmbio científico e cultural entre a USP e instituições brasileiras e estrangeiras por meio de convênios de cooperação e intercâmbio acadêmico e convites específicos a pesquisadores e intelectuais.

Eugênio Bucci é graduado em jornalismo e direito pela Universidade de São Paulo e possui doutorado pela ECA. Entre 1987 e 1991, foi editor da revista Teoria e Debate. Na Editora Abril, atuou como diretor de redação das revistas Superinteressante (1994 a 1998) e Quatro Rodas (1998 a 1999) e também secretário Editorial (1996 a 2001). Recebeu o Prêmio Esso 2013 na categoria Melhor Contribuição à imprensa por seu trabalho de orientação na Revista de Jornalismo Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). Atualmente é membro do Conselho Deliberativo do IEA e coordenador do grupo de pesquisa Jornalismo, Direito e Liberdade.

Martin Grossmann é graduado em artes plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), com mestrado pela ECA e PhD na University of Liverpool, no Reino Unido. Entre 2012 e 2016 atuou como diretor do IEA. Também foi diretor geral do Centro Cultural São Paulo (2006-2010) e vice-diretor do Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP entre 1998 e 2002. Atualmente, no âmbito do IEA, Grossmann integra a Comissão Científica da Academia Intercontinental, sendo coordenador da Cátedra Olavo Setúbal de Arte, Cultura e Ciência. Também coordena o Grupo de Pesquisa Fórum Permanente: Sistema Cultural entre o Público e o Privado.

Fotos: Divulgação/UNICAMP