Revista Significação: esquetes do Porta dos Fundos ironizam mistura de público e privado na política brasileira

Pesquisadores analisam dois vídeos do canal do Youtube, que usam o humor para fazer críticas à postura de congressistas 

 

Desde o período dos bobos da corte, "a política encontra na comédia e no humor um olhar vigilante". É essa a premissa do artigo "A política das emoções: o público e o privado em Porta dos Fundos", publicado na nova edição da Revista Significação. No trabalho, os pesquisadores Guilherme Fumeo Almeida e Rafael Hoff fazem a análise de dois vídeos do canal de comédia, que evidenciam, sarcasticamente, como o público e o privado se misturam na política brasileira. 

Nos dois esquetes analisados, "Questão de ordem" e "Nome na lista", são apresentadas situações um tanto quanto absurdas. No primeiro, uma discussão acalorada entre dois congressistas acaba se revelando uma briga de casal. No segundo, um repórter faz uma pergunta a um deputado mencionando um apelido e uma denúncia de corrupção, mas o que recebe atenção é apenas o polêmico apelido. 

Numa mistura de narrativa ficcional e referências a fatos cotidianos, a comicidade do Porta dos Fundos está no "sentido de real/realidade empregado nos esquetes sobre política". Assim, "aquilo que é mostrado no vídeo não aconteceu de fato, poderia ter acontecido ou aproxima-se do absurdo da própria realidade, dialogando com o imaginário da política brasileira e seu repertório de casos de escândalos e espetáculos midiatizados", dizem os pesquisadores. 

Nesse sentido, os vídeos denunciam, por meio da comédia, a falta de profissionalismo e de conduta ética dos homens públicos. Em meio a tantas notícias absurdas vindas do Congresso constantemente, os esquetes representam "o sentimento de apatia, de descrença e de desvalorização da imagem do homem público, que mistura as discussões de âmbito privado à pauta que deveria ser de interesse público". 

A consequência desse cenário é um processo de desencantamento com a esfera pública e descrédito da atividade política. Na percepção da população, as pessoas que estão no poder são incapazes de construir projetos em prol do bem público. 

No entanto, a "culpa" dessa imagem da política brasileira não é unilateral. "O escárnio destes dois vídeos do canal Porta dos Fundos parece mirar na figura do homem público e, por reflexo (ou ricochete), acertar o cidadão responsável pela presença deste homem – alvo da derrisão – na esfera pública", conclui o artigo. 

Capa da "Significação – Revista de Cultura Audiovisual", publicação semestral vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais (PPGMPA

Significação – Revista de Cultura Audiovisual é uma publicação semestral vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais (PPGMPA), que se ocupa de temas relacionados ao audiovisual e ao cinema, abordando desde a televisão e o rádio até as mídias digitais. Com diferentes perspectivas teóricas, os artigos enfocam obras audiovisuais como objeto de análise. 

A última edição da revista traz, além do artigo de Almeida e Hoff, diversos textos de outros pesquisadores, incluindo o dossiê "Cinema brasileiro contemporâneo: política, estética e invenção". Para conferir a publicação na íntegra, clique aqui

Aproveite e conheça nessa matéria todas as revistas científicas atualmente produzidas na ECA.