Saiba mais sobre o conhecimento e a arte produzidos por estudantes e professores negros da ECA

Com enfoque em temáticas raciais, produção acadêmica, artística e de extensão vai de trabalhos de conclusão de curso a programas de entrevistas

 

Desde o dia 25 de maio, quando o ex-segurança negro George Floyd foi assassinado por um policial branco na cidade de Minneapolis, nos Estados Unidos, uma onda de protestos que começou no país norte-americano tem se espalhado pelo mundo, incluindo o Brasil. Aqui, casos recentes, como as mortes do menino João Pedro e do jovem João Vitor, no Rio de Janeiro, também impulsionaram mobilizações e escancaram a brutalidade do racismo e da violência policial no país.

Todas essas manifestações têm provocado um intenso debate nas redes sociais sobre como indivíduos, instituições e empresas devem se posicionar diante do racismo, e sobre a efetividade de campanhas e hashtags para aqueles que protestam nas ruas e para uma melhoria real das condições de vida da população negra. Em meio a essas discussões, muitos apontam a importância da divulgação de iniciativas lideradas por negros em todos os campos como uma forma de reconhecer e valorizar não só sua luta, mas também a riqueza do conhecimento que produzem. Além disso, esse reconhecimento abre caminho para a merecida reparação histórica de intelectuais e ativistas negros que tiveram seus nomes e obras apagados ao longo do tempo. 

Pensando nisso, o site da ECA preparou uma compilação com matérias sobre o conhecimento, a arte e o ativismo negro produzidos no âmbito da Escola. Publicadas ao longo dos últimos anos, as reportagens reúnem obras de autoria de alunos de graduação, pós-graduação e professores, em sua maioria negros, contemplando trabalhos de conclusão de curso, dissertações, teses, publicações, produções radiofônicas e audiovisuais. Confira a seguir: 

Trabalho de conclusão de curso reflete sobre a relação entre turismo sexual e estereótipos de mulheres negras

Elaborado por Estéfani Brito da Silva, o TCC analisou fenômenos como o Carnaval para compreender a formação de imagens estereotipadas das mulheres negras brasileiras. Veja a matéria completa

Movimento Negro: luta, documentação e história

A dissertação de Fernanda dos Anjos Casagrande mostra que os arquivos sobre a luta da população negra são fragmentados e pouco divulgados. A falta de um centro de referência prejudica a divulgação desses arquivos e a valorização dessa memória. Saiba mais aqui.

Luiz Gama, Lélia Gonzalez e outros intelectuais negros que você precisa conhecer

Em evento realizado durante a Semana da Consciência Negra da ECA em 2019, pesquisadoras  negras falam sobre seus trabalhos e sobre intelectuais negros ainda pouco conhecidos na Universidade. Leia a reportagem na íntegra

Mercado publicitário brasileiro precisa ser antirracista

Livro organizado pelos pesquisadores Francisco Leite e Leandro Leonardo Batista, do CRP, mostra que não basta fazer propaganda não racista, é preciso ir além. A publicação está disponível para download gratuito. Veja a matéria completa

Os mesmos autores também são responsáveis pelo livro Primeiras Experiências com o Racismo: crianças negras, práticas parentais e midiatização, além de terem organizado a coletânea de artigos O negro nos espaços publicitários brasileiros: perspectivas contemporâneas em diálogo

Francisco Leite também publicou As Brasileiras e a Publicidade Contraintuitiva: enfrentamento do racismo pela midiatização da imagem de mulheres negras. O livro é resultado da tese de doutorado de Leite, cujo download pode ser feito aqui

Escultura Amnésia de Flávio CerqueiraAmnésia, obra de 2015 do artista Flávio Cerqueira, doada ao Museu de Arte São Paulo (MASP) em 2018. Foto: acervo MASP. 

Artes Plásticas: um lugar de todos? 

Alecsandra Matias de Oliveira, doutora pela ECA e colunista do Jornal da USP, fala sobre a questão racial no campo artístico. Saiba mais aqui

Docentes da ECA falam da importância de Marielle Franco para as lutas sociais

Em março de 2019, um ano depois do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, os professores Dennis de Oliveira e Clotilde Perez comentam o legado da vereadora carioca para a luta contra o racismo e a violência policial no Brasil. Confira a matéria.

CTR tem seu primeiro chefe de departamento negro

Em julho de 2018, o professor Almir Antonio Rosa, mais conhecido como Almir Almas, assumiu a chefia do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR). Em sua gestão, ele pretende valorizar ainda mais as ações de cotas e a permanência de alunos que vieram de escolas públicas e que são pretos, pardos e indígenas. Veja a reportagem completa.

Com TCC sobre viajante afro-brasileiro, aluna do CRP ganha destaque na Rede Afro Turismo

Apresentado no final de 2018 pela estudante do curso de turismo Thainá Souza Santos, o trabalho de conclusão de curso O viajante afro-brasileiro: enegrecendo o turismo faz uma reflexão sobre os empreendimentos turísticos e a população negra. Leia a matéria

página da HQ CumbePágina da HQ Cumbe, do ex-ecano Marcelo D'Salete, que levou o prêmio Will Eisner, considerado "o Oscar dos quadrinhos". 

Com obra que aborda escravidão no Brasil, ex-aluno da ECA vencê prêmio Eisner

Formado em Artes Plásticas pela ECA, o ilustrador, quadrinista e professor Marcelo D'Salete viu, em 2018, sua HQ Cumbe receber o prêmio Will Eisner, o maior reconhecimento do mundo dos quadrinhos. Confira a reportagem.  

Dennis de Oliveira e Rosane Borges falam sobre o movimento negro e racismo no Diálogos USP 

O professor Dennis de Oliveira, do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE) e ativista da Rede Quilombação, falou em 2018 no programa Diálogos USP sobre a trajetória dos movimentos sociais negros brasileiros. Também participou da conversa a professora Rosane Borges, então colaboradora do  Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação (CELACC) e atual docente do Centro Multidisciplinar de Pesquisas em Criações Colaborativas e Linguagens Digitais (Colabor), também da ECA.  Leia a matéria

Farofa Crítica

Apresentado pelo professor Dennis de Oliveira, do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE), o programa Farofa Crítica entrevista intelectuais, ativistas, pesquisadores, entre outros, sempre discutindo temas da atualidade. Vários episódios são dedicados ao trabalho de expoentes negros, como a empreendedora Dandara Elias. Para acompanhar o programa, acesse o canal do Farofa Crítica no Youtube ou a página no site do CJE

Diversidade em Ciência

No ar desde 2015, o Diversidade em Ciência é um programa semanal de entrevistas vinculado à Rádio USP e voltado exclusivamente para a divulgação científica nas áreas das ciências das diversidades e direitos humanos. Idealizado e apresentado pelo professor Ricardo Alexino Ferreira, do CJE, que também é autor de diversos estudos sobre questões raciais na mídia, o programa já abordou temas como cinema negro, cientistas negros ao longo da história, privilégios da branquitude, educação étnico-racial e literatura negra infanto-juvenil. Acompanhe na Rádio USP

Nós, Mulheres Negras

Com apresentação da produtora audiovisual Ester Dias, o podcast realizado pelo Grupo de Estudos e Produção em Mídia Sonora (MidiaSon), do CTR, estreou em agosto de 2019. Por meio de entrevistas, o programa aborda as histórias e perspectivas de mulheres negras. Saiba mais aqui.

 

Ainda de forma tímida, temáticas raciais também têm contribuição de pesquisadores brancos

Um dos assuntos que tem ganhado destaque no debate atual sobre racismo é o papel que as pessoas brancas podem desempenhar. Para a professora, filosófa e ativista norte-americana Angela Davis, "não basta não ser racista; é preciso ser antirracista." O compromisso com o antirracismo implica combater e superar as manifestações de racismo em todas as esferas sociais: nas relações familiares e afetivas, no trabalho, na cultura e na educação. 

Ao fomentar pesquisas que trazem à tona e investigam personagens, histórias e fenômenos que ajudam a compreender as condições de funcionamento no racismo na sociedade, a academia traz contribuições importantes para o combate ao racismo. Estes trabalhos mostram as diferentes formas com que pessoas brancas, negras ou de outras minorias étnicas são definidas pela lógica racial e incorporam essa lógica – muitas vezes sem perceber – quando interagem entre si. 

Nos últimos anos, mais pesquisadores brancos têm se convencido da importância de debruçar-se sobre temáticas raciais, como a professora Lia Vainer Schucman, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Na ECA, algumas produções científicas, comunicacionais e artísticas encabeçadas por negros contam com o trabalho de pesquisadores brancos, como é o caso do livro Publicidade Antirracista e o podcast Nós, Mulheres Negras, mencionados na lista acima. 

Merece destaque também a publicação da pesquisadora Paola Prandini, lançada na Bienal do Livro de 2018. Intitulado A cor na voz: Identidade Étnico-Racial, Educomunicação e Histórias de Vida, o livro baseia-se na dissertação de mestrado de Prandini, realizada no PPGCOM. Por meio da leitura crítica de filmes e da construção das próprias histórias de vida em vídeo, a pesquisadora levantou informações sobre a construção da identidade étnico-racial em jovens. Saiba mais aqui

 

É aluno ou professor da ECA e gostaria de ver seu trabalho divulgado aqui? Entre em contato pelo e-mail comunicaeca@usp.br