Semana de Recepção dos Calouros: atividades da semana integram novos alunos

Abertura da Semana

No dia 26 de fevereiro, teve início a Semana de Recepção dos Calouros da ECA. Na abertura do evento, o diretor da Escola, Eduardo Monteiro, a vice-diretora, Brasiliana Passarelli, a coordenadora da Comissão de Graduação, Silvia Laurentiz, chefes de Departamento e coordenadores de todos os cursos de graduação estiveram presentes e apresentaram os cursos aos calouros. A abertura foi realizada no Teatro Laboratório.

Também estiveram presentes veteranos para dar as boas-vindas. “A maioria dos novos alunos vem porque é o momento de conhecer a ECA e de conhecer as pessoas. E a Semana é o único momento que tá todo mundo da ECA junto, porque no resto do ano cada curso fica no seu canto”, afirma Thaisa Gonzalez, estudante de Publicidade e Propaganda e participante da Comissão de Recepção, sobre a importância do evento.

Na apresentação institucional, Eduardo Monteiro ressaltou uma característica da Escola: a diversidade. “A ECA é uma das escolas mais plurais da USP. Espero que vocês possam usufruir dessa diversidade da melhor maneira possível”, disse o diretor. E também incentivou os novos alunos a desenvolverem um olhar criterioso: “se agarrem nas dúvidas, andem para frente, as certezas paralisam”. Ao final de seu discurso, colocou toda a diretoria e os setores administrativos da ECA à disposição para ajudar os alunos, “não apenas no início, mas ao longo de todo o curso de vocês”, finalizou.


Professores de todos os cursos da ECA deram as boas-vindas aos novos alunos. Foto: Susana Sato

Os coordenadores de curso fizeram breves apresentações. Falaram sobre os formatos dos cursos, as áreas de atuação e algumas novidades. Sobre a graduação de Música, a professora Adriana Lopes Moreira falou da ampliação das vagas. “Tivemos 35 vagas até o ano passado. No último ano, entraram 50 alunos e a boa notícia é que o departamento acomodou muito bem todos os alunos”, afirmou.

Andréia Abdelnur, coordenadora da comissão das licenciaturas em Artes, lembrou que ser professor envolve militância. “Estamos vivendo diante de um governo que está pensando em reformas. A reforma do ensino médio, por exemplo, tira a obrigatoriedade da arte”, recordou a professora.

Os coordenadores dos cursos de Jornalismo e de Relações Públicas, André Chaves e Valéria Castro, respectivamente, ressaltaram a reformulação dos currículos. E a maioria dos professores destacou a importância de aproveitar a ECA e a Universidade. “Uma das vantagens de estar na USP é que vocês podem frequentar outras unidades. Procurem ir além dos cursos que vocês estão, conhecer pessoas de outros cursos, isso enriquece muito”, contribuiu o professor Hugo Fortes, coordenador do curso de Publicidade e Propaganda.

Marina Macambyra, bibliotecária da ECA, e Patrícia Moran, professora do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR) e diretora do Cinema da USP, apresentaram a Biblioteca da ECA e o CINUSP. Patrícia afirmou que o objetivo do cinema, que faz parte da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária, é fazer com que a “universidade torne público os conhecimentos que produz e traga os conhecimentos da sociedade para discutir.” Ela também falou a respeito da mostra Novíssimo Cinema Brasileiro que estará vigente de 5 a 29 de março. A programação pode ser encontrada no site do CINUSP.

Marina falou brevemente sobre o acervo da biblioteca, o qual conta com filmes em DVD, partituras, discos de vinil, peças de teatros, entre outros, além de livros e revistas. Também comentou sobre os serviços da biblioteca, como treinamentos e o empréstimo entre bibliotecas.

Em seguida, os alunos da Comissão de Recepção aos Calouros deram início à apresentação das entidades e às demais atividades do evento.


As entidades da ECA se apresentaram na abertura da Semana de Recepção aos Calouros. Foto: Vanessa de Souza

Recepção dos Intercambistas

No dia 26, também aconteceu a apresentação da ECA para os intercambistas. Os professores Eduardo Monteiro, Silvia Laurentiz, e a presidente da Comissão de Relações Internacionais, Daniela Osvald, deram as boas-vindas aos novos intercambistas.

Neste semestre, há 24 intercambistas de 12 países diferentes estudando na ECA. Eles vieram da Alemanha, Espanha, Portugal, França, Escócia, Colômbia, Finlândia, Romênia, Itália, México, Canadá e Inglaterra.

Veja como foi a recepção dos novos alunos aqui.

Ex-ecanos ilustres: convivência e diversidade

A atividade Ex-ecanos Ilustres aconteceu na quinta-feira e contou com a presença de Tato Carbonaro, representante do King’s College London na América Latina e participante do projeto Memórias Ecanas, Stephanie Noelle, youtuber e coordenadora de conteúdo digital em uma agência de publicidade, e Ricardo Sales, consultor de comunicação e diversidade.

Na mesa, os ex-ecanos se apresentaram, deram um panorama sobre a influência da ECA em suas carreiras e aconselharam os novos ecanos.

Ricardo Sales incentivou os novos alunos a aproveitarem tudo o que a Universidade oferece. “Vocês não estudam na ECA, vocês estudam na USP”, disse. Todos os palestrantes concordaram que a possibilidade de passar por outros institutos é o que torna a formação mais rica. “Por mais que a gente tenha alguma diversidade na ECA, a gente tem um modo de pensar parecido. Sair daqui traz novas referências, contato com professores diferentes e com áreas de saber que vão complementar o conteúdo da comunicação”, afirmou Ricardo.


Tato Carbonaro, Stephanie Noelle e Ricardo Sales falaram com os calouros na atividade Ex-ecanos IlustresFoto: Rodrigo Siqueira

Tato completou dizendo a importância dos relacionamentos dentro da Universidade em sua formação. “A minha trajetória com as pessoas da ECA foi o que me moldou para estar onde estou agora”, contou. Além de participar de diversas oportunidades que a Escola oferecia na época em que era estudante da graduação, Tato também fez intercâmbio. “Foi quando eu descobri que, de fato, essa área internacional era o que eu mais queria.”

Stephanie Noelle lembrou que os homens são a maioria nos cargos mais altos das empresas, por isso falou sobre a importância de as mulheres se unirem e se sentirem confiantes na Universidade e no mercado de trabalho. Formada em jornalismo, Stephanie não trabalha, hoje, na área e orientou os calouros a respeito: “o sucesso é todo dia estar satisfeito com o que você está fazendo. Sentir que você está fazendo alguma coisa legal.”

Ricardo, por fim, aconselhou os novos alunos a se manifestarem em casos de preconceito. “Não tolerem comentários preconceituosos. Puxem uma discussão em sala de aula. Não se calem”, finalizou.

Visão dos calouros

“Não via a hora de passar pelo trote. Foi tudo o que eu esperava e com várias pessoas legais”, contou a nova aluna de Turismo, Isabeli de Brito Pereira, ansiosa pela Semana dos Calouros.

Em relação a acolhida dos veteranos, Jefferson Oliveira dos Santos, ingressante no curso de Música com bacharel em violão, classificou a recepção como “espetacular”.


Calouros na Júnior na Cara; a atividade foi uma competição de perguntas e respostas sobre as empresas juniores da ECA. Foto: Rodrigo Siqueira

Quando questionada sobre por que escolheu a USP e a ECA, a nova aluna de Relações Públicas, Laura Gomes, respondeu com outra pergunta: “por que não escolher a USP?” Laura e sua colega de curso, Arlinda Barbosa, que tinham acabado de se conhecer, falaram também sobre a importância das atividades de recepção. “Eu cheguei a fazer um ano de UNICAMP e sei que esse começo é muito difícil. Então, ter essas atividades é legal porque você já vai se enturmando e já vai conhecendo as pessoas. Torna a transição mais gostosa”, disse Laura. Um grupo de calouros de biblioteconomia confirmou: “no primeiro dia das atividades a gente se perdeu do pessoal e resolveu ficar junto”.

Arlinda Barbosa acrescentou que as atividades são relevantes também para conhecer os lugares. “Conhecer a biblioteca, onde ficam as coisas, onde você pode almoçar. Isso é muito importante pra gente não ficar perdido.”

A atriz Ana Hikari também esteve presente no evento e comentou sobre sua experiência. “Quando eu fui veterana, a gente [do CAC] começou a integrar mais com a ECA e eu acho que isso é importante para saber com quem você pode contar ao longo dos anos”, disse.


As empresas Com-Arte Jr., Jornalismo Júnior e ECA-Jr também organizaram uma atividade de dança para os calouros. Foto: Rodrigo Siqueira

 

Texto: Mirella Coelho
Foto de capa: Vanessa de Souza