TV Cultura exibe produção de alunos de Jornalismo

Programa Campus em Ação vai ao ar neste sábado, 2 de novembro, às 10h30, e mostrará vídeo realizado na disciplina “Projetos em Televisão”

 

Neste sábado, 2 de novembro, a TV Cultura exibe um dos episódios da série jornalística audiovisual Assim na Terra como no Céu, produzida por estudantes de jornalismo dentro da disciplina Projetos em Televisão, ministrada pela professora Mônica Rodrigues Nunes. O vídeo fará parte do programa Campus em Ação, que é veiculado aos sábados às 10h30 e apresenta a produção audiovisual de estudantes e professores de todas as áreas do conhecimento.

Em um total de cinco episódios, a série explora diversas questões relacionadas às práticas funerárias, buscando compreender seu papel como um meio de preservação da memória mas também de perpetuação das diferenças sociais existentes em vida. “Do pó viemos e ao pó retornaremos”, episódio selecionado pela TV Cultura e que fecha a série, se dedica à relação das pessoas com cemitérios e com a perda de entes queridos, além de investigar as origens do costume de enterrar os mortos.  

A morte está presente quase que diariamente em muitos veículos informativos, seja em obituários, notícias sobre o falecimento de celebridades ou no noticiário policial. No entanto, ainda é pouco comum investigar os aspectos sociais, econômicos e culturais da morte ou apresentar informações sobre o que fazer quando um ente querido falece. Sobre isso, Ana Carolina Aires, que atuou na série como repórter, produtora e coordenadora de equipe, comenta: “como eu acredito que o jornalismo deve ser um instrumento de utilidade pública, achei muito relevante trazer para pauta um tema complicado de lidar, como é o caso da morte, por ser inesperado e se ter pouca informação prévia sobre isso. Quando alguém morre, a gente só vai pensar nas burocracias na hora.”

Imagem de "Do pó viemos e ao pó retornaremos", episódio 5 da série "Assim na Terra como no Céu"

Abordar uma pauta tabu traz consigo uma série de desafios. “Por entrar de cabeça em temas subjetivos do cotidiano de todos, mas, também, trazer um equilíbrio racional e jornalístico sobre tais questões, foi uma reportagem difícil de estruturar. Apesar de nunca conseguirmos chegar a uma abordagem 100% inclusiva, por motivos de tempo e recursos, acredito que o vídeo tenha cumprido um excelente papel em tratar das multiplicidades de forma muito balanceada”, comenta Claire Castelano, que trabalhou como repórter, produtora e editora.

Para Ana Carolina, o principal aprendizado trazido pela experiência foi a gestão de equipes. Ao longo da disciplina, cada reportagem é planejada e dividida em etapas de realização: pré-produção, produção e pós-produção, com os membros dos grupos desempenhando diferentes papeis. “O principal desafio foi conciliar um grupo grande, com expectativas e formas de produção diferentes e conseguir construir um produto final com a contribuição de diferentes pontos de vista”. Claire concorda: “para mim, o grande desafio foi fazer parte de tudo, ao mesmo tempo em que cada decisão tinha de ser mediada e ponderada em coletivo.”

A professora Mônica acredita que aprender a teoria e a prática da produção audiovisual é indispensável para a formação do jornalista. “Vivemos hoje na era da informação e da imagem. Com base nisso, a proposta da disciplina ‘Projetos em Televisão’ é permitir que os alunos conheçam as especificidades da produção audiovisual na atualidade.” Na parte prática da disciplina, os alunos são estimulados a realizar produções de caráter autoral, o que, segundo a docente, ajuda a garantir um maior envolvimento e mais qualidade para os produtos finais. “O resultado dos trabalhos tem sido muito satisfatório, devido, também, ao grande engajamento deles nesta atividade.”

Todos os episódios da série Assim na Terra Como no Céu e também as outras séries produzidas pela disciplina “Projetos em Televisão” podem ser vistos no Youtube ou no site da própria disciplina.

Abaixo você confere a sinopse e a ficha técnica do episódio 5:

 

Episódio 5: Do pó viemos e ao pó retornaremos

Por que enterramos? Existem outras possibilidades além do enterro? Como outras culturas e religiões veem essa questão? Nesse episódio, analisamos a morte vista por diferentes pontos de vista e exploramos a dualidade de pessoas que, mesmo querendo ser enterradas, têm aversão ao espaço dos cemitérios por considerarem-nos locais mórbidos e tristes.

 

Equipe de produção

Ana Carolina Aires - coordenadora e repórter;

Ana Harada - produtora, repórter;

Claire Castelano - produtora, repórter;

Ian Alves - produtor, repórter e editor;

Laís Ribeiro - produtora, repórter;

Luís Henrique Franco - repórter;

Natan Novelli Tu - repórter;

Pedro Graminha - repórter

 

Orientação

Mônica Rodrigues Nunes

 

Estagiária docente/PAE

Aline Senzi