USP tem diversas iniciativas no combate ao coronavírus; conheça as ações da ECA

Docentes e pesquisadores da Escola têm realizado ações de pesquisa e extensão nas áreas de Comunicação, Informação e Artes

 

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, as universidades brasileiras têm entrado em ação para pensar em formas de combater e reduzir os malefícios que o vírus está trazendo para a sociedade. Não só na questão da saúde, mas também em diversas esferas afetadas direta ou indiretamente pela covid-19, como a economia e o turismo. A USP, com aulas presenciais suspensas desde o meio de março, na verdade, não parou. Na pesquisa, no ensino e na extensão, a universidade continua agindo

A ECA tem contribuído com iniciativas relacionadas aos seus ramos de atuação: comunicação, informação e artes. Saiba mais sobre algumas delas:

 

Professor do CBD atua em organizações que buscam mitigar os efeitos da desigualdade social 

Como presidente da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação, o professor Ivan Claudio Pereira Siqueira, do Departamento de Informação e Cultura (CBD), tem auxiliado escolas e educadores nesse período desafiador para a educação de crianças e adolescentes. Entre a desigualdade social que já permeava o sistema educacional brasileiro e a pandemia, a educação básica é um dos pontos de preocupação. Leia a matéria completa sobre o tema.

Além disso, o professor também é membro do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CNPIR), que têm atuado com enfoque em grupos sociais desprivilegiados, como moradores de favelas, quilombolas e indígenas. Já no início da pandemia, Siqueira elaborou e encaminhou para a direção do CNPIR um manual com sugestões de ações a serem executadas nas comunidades. "A informação deveria ser tratada como um bem de primeira necessidade, e naturalmente seguida de políticas efetivas que preservassem a vida dessas pessoas", comenta o docente. Veja a entrevista de Siqueira na íntegra.

 

Grupo realiza pesquisa sobre trabalho dos comunicadores durante a pandemia

O Centro de Pesquisa Comunicação & Trabalho (CPCT), coordenado pela professora Roseli Figaro, está realizando uma pesquisa intitulada "Como trabalham os comunicadores em tempos de pandemia da Covid-19?". Nesse período, a precarização que já se fazia presente no universo da comunicação está ainda mais em evidência, uma vez que muitos contratos de trabalho não garantem nenhum benefício ou estabilidade. 

A pesquisa já obteve alguns resultados preliminares. “Há o contexto mais geral com o país atrelado à falta de políticas públicas para socorrer a população menos favorecida, a partir das dificuldades de atendimento na área da saúde, sem falar no pânico gerado na sociedade e o acirramento do autoritarismo, que levam a uma sensação de tensão diária. Existe, evidentemente, o medo do comunicador com o contágio da doença e dele ser um foco de transmissão do vírus à família. Por fim, o temor com a situação do trabalho, que se traduz na possibilidade de desemprego ou de redução da remuneração”, conta Figaro.

Saiba mais sobre o andamento da pesquisa no site oficial do CPCT.

 

Mapeamento da pesquisa científica mundial sobre a covid-19

Com o objetivo de entender o papel de epidemias e pandemias como a atual no aumento do acesso aberto a publicações científicas, um grupo de pesquisadores está mapeando os estudos sobre o coronavírus que vem sendo realizados em todo o mundo. Intitulado Coronavirus mapping in scientific publications: when science advances rapidly and collectively, is access to this knowledge open to society? (Mapeamento do coronavírus em publicações científicas: quando a ciência avança rápida e coletivamente, o acesso a esse conhecimento é aberto à sociedade?, em tradução livre), o trabalho conta com a participação do professor Rogério Mugnaini, do Departamento de Informação e Cultura, além de pesquisadores espanhóis.

O estudo analisou artigos científicos publicados de dezembro de 2019 a 23 de março de 2020, comparando suas características com a produção científica realizada de 2001 a 2020, período que coincidiu com as epidemias de SARS e MERS. A conclusão é que houve um aumento tanto na produção de artigos quanto no acesso aberto, mas a tendência é que essa abertura ainda se dê predominantemente de forma temporária ou mediante pagamento de taxas. Saiba mais lendo a matéria

 

E-book abordará efeitos da pandemia na mídia

Até o dia 15 de maio está aberta a chamada de textos para Pandemídia: virus, contaminações e confinamentos, coletânea de reflexões científicas acerca dos efeitos suscitados pela pandemia de covid-19 na relação da sociedade com os recursos audiovisuais. A iniciativa é do LabArteMídia, grupo de pesquisa vinculado ao Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR) e ao Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais (PPGMPA). O laboratório é coordenado pelos professores Almir Almas e Luís Fernando Angerami Barros

Veja a matéria na íntegra e saiba como enviar sua contribuição. 

 

Professores e pesquisadores da ECA comentam os efeitos da pandemia na sociedade

Professores e pesquisadores estão produzindo conteúdo para ajudar na compreensão desse momento tão incerto e repleto de imprevistos. 

Em entrevista, o professor Carlos Augusto Machado Calil, do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR), falou sobre o cenário atual para a cultura, que já enfrentava desafios no Brasil devido a decisões políticas baseadas em viés ideológico. Leia a entrevista na íntegra.

A professora Roseli Figaro, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação (PPGCOM), analisou as mudanças no mundo do trabalho, tão dominado por plataformas digitais. “Do trabalhador do Uber, da Amazon, (..) ao consumidor dos serviços online, ao usuário de Facebook etc., todos nós, em escalas diferentes de qualidade de informação, trabalhamos para as plataformas”, diz. A matéria completa está disponível aqui.

Em artigo para o Jornal da USP, a professora do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP), Clotilde Perez, falou sobre o posicionamento das marcas nesse período, dividindo as campanhas em quatro tipos: oportunistas, demagogas, solidárias e ativistas. Saiba mais lendo a matéria.

As medidas de distanciamento social também afetam a produção televisiva, causando o interrompimento de gravações. As emissoras se depararam com um novo desafio para preencher suas grades de programação, dividida entre o noticiário informativo e o entretenimento. Nessa matéria, a pesquisadora do Centro de Estudos de Telenovelas (CETVN), Ligia Lemos, fala sobre a nova dinâmica das novelas e sobre a influência do streaming nessa reconstrução. 

Em entrevista para o Jornal da USP, Pedro Luiz Côrtes, professor do Departamento de Informação e Cultura (CBD) e do Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental do Instituto de Energia e Ambiente (IEE), adverte que as competências governamentais falharam em planejar tão tardiamente a adaptação à crise causada pela covid-19. Confira a matéria completa. 

A professora Debora Cordeiro Braga, do Departamento de  Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP) falou sobre como a crise do coronavírus tem afetado o mercado do turismo, em um cenário sem precedentes históricos. "Hoje, em um mundo onde as distâncias entre países e continentes parecia ter sido definitivamente transposta, o isolamento social produz efeitos mais drásticos", comenta a docente na matéria.  

Em um cenário de pandemia, evento raro e desestabilizador, diversos setores da sociedade são impactados. A economia global está sofrendo consequências desde a explosão do surto de coronavírus na China, um dos maiores importadores e exportadores do mundo. Agora, com a chegada do vírus em todos os continentes, os danos financeiros ocorrem em escala ainda maior. O professor do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR), Gilson Schwartz, comentou sobre esses impactos em sua coluna na Rádio USP, IconomiaSaiba mais aqui

 

Turmas de Música e Artes Cênicas usam plataformas online para continuar espalhando arte 

Mesmo com a paralisação das atividades presenciais, alunos e professores do Departamento de Música (CMU) e do Departamento de Artes Cênicas (CAC) têm continuado suas atividades de forma remota. Como forma de contrapor o pessimismo muito presente na discussão pública, os grupos têm realizado performances, reforçando a importância das artes nesse período.

O Comunicantus continua com a prática coral, fazendo apresentações remotas e produzindo material de estudo. Enquanto isso, a classe de violinos está explorando novos arranjos, como a mistura de música clássica com forró. O grupo LAPETT, por sua vez, não deixou que a quarentena atrapalhasse o espetáculo recém-selecionado pela Mostra Estudantil do TUSP e resolveu recriá-lo de forma virtual

 

Pós-doutorando produz quadrinhos informativos sobre o coronavírus

Sob orientação do professor Waldomiro Vergueiro, o pós-doutorando Carlos Antonio Teixeira produziu quadrinhos no estilo cartum com recomendações de saúde e informações sobre a Covid-19. Ambos são membros do Observatório de História em Quadrinhos. 

Cartum mostra principais sintomas do coronavírus.Quadrinho mostra os principais sintomas da covid-19. Autores: Vicente Granieri e Carlos Antonio Teixeira.

 

Laboratório Agência de Comunicação (LAC) da ECA produz série #ECAemCasa

Como forma de divulgar o que a ECA faz, o LAC tem feito matérias e posts nas redes sociais com dicas de conteúdo que podem ser facilmente consumidos durante o período de isolamento social. Intitulado #ECAemCasa, o projeto já indicou materiais de estudo e também produções audiovisuais.

 

É pesquisador da ECA e tem um projeto sendo desenvolvido sobre a pandemia do novo coronavírus? Envie um e-mail para comunicaeca@usp.br e conte-nos mais sobre o seu trabalho!