Projetos de Pesquisa

(171 resultados) Download como CSV

Data de SubmissãoDocenteordenar íconesTítuloSúmulaLink ver
14/07/2011Brasilina PassarelliObservatório da Cultura Digital - Linha de Pesquisa no NAP Escola do Futuro/USPO mundo das novas tecnologias de comunicação é marcado pela interatividade e pela colaboração, características que reconfiguram os modos de aprender e ensinar na contemporaneidade. A vida em rede trouxe inúmeras consequências para a produção cultural e para a educação, caracterizadas por hábitos de interação e pelo uso das ferramentas comunicativas, transformando não apenas as práticas educativas, mas também os métodos e técnicas de pesquisa em comunicação e educação. A cada ano, as pesquisas provenientes desses dois campos convergem para compreender o processo pelo qual alunos e professores vivenciam ações mais autônomas e ao mesmo tempo mais colaborativas por meio das mídias, e principalmente, por meio das redes sociais na internet. A atual prática da liberdade proveniente do acesso ao conhecimento disponível na rede propicia hábitos de compartilhamento de informações que superam divisões políticas e institucionais. Tais mudanças proporcionam a emergência de uma cultura mais crítica, dotada de maior capacidade de intervenção para além dos limites das instituições sociais e que exige dos alunos a capacidade de interpretar, avaliar e interagir com a informação de forma crítica. Assim, as novas preocupações a respeito da educação na contemporaneidade implicam, também, em investigar as formas e níveis de apropriação e uso das tecnologias. A trajetória do NAP Escola do Futuro/USP fundamenta-se, majoritariamente, na articulação entre programas de inclusão digital e pesquisas de caráter etnográfico destinadas a investigar comportamentos dos atores em rede , constituindo-se portanto, em lócus privilegiado para as pesquisas do Observatório da Cultura Digital, criado em 2008. Enquanto a primeira onda da Internet referia-se às ações direcionadas ao digital divide, que buscavam possibilitar o acesso à rede, a segunda onda (atual) resulta do fenômeno das redes sociais, deslocando o foco das pesquisas e projetos do NAP Escola do Futuro/USP para a questão das literacias emer.ver
14/07/2011Brasilina PassarelliTelecentros BRGestão dos telecentros gerenciados pelo governo federal no território nacional no que tange à formação - presencial e a distancia - dos monitores/mediadores .O projeto contempla também a concepção e implementação do portal , de conteúdos digitais interativos, redes sociais e pesquisa com etnografia virtual a ser realizada com a comunidade de usuários.ver
14/07/2011Brasilina PassarelliProjeto EntreMeios - formação continuada com docentes em São BernardoEm parceria com a prefeitura de São Bernardo do Campo, o novo projeto entre o NAP Escola do Futuro/USP e Secretaria da Educação, promove a capacitação dos educadores da rede pública, visando a utilização dasTIC em sala de aula como recurso ao aprendizado e aprimoramento na qualidade de ensino. O projeto também se estabelece em torno da criação de uma Comunidade Virtual de Aprendizagem, constituindo-se como um organismo vivo que tornará possível a troca de experiências e informações entre os envolvidos no processo, bem como a participação em cursos online e a formação de uma rede cooperativa entre Institutos Municipais de Ensino. O convênio prevê a formação dos profissionais da educação - professores, coordenadores e orientadores pedagógicos e equipes gestoras para o uso pedagógico das mídias digitais e sua incorporação ao Projeto Político Pedagógico; o acompanhamento e formação dos profissionais que atuam nos laboratórios de informática das escolas monitores e pape - a fim de que desenvolvam um trabalho de apoio técnico aos professores e alunos e de parceria no planejamento e desenvolvimento das atividades realizadas com as Tecnologias da Informação e Comunicação; e a preparação de professores para a integração das TIC s ao currículo escolar assumindo o uso regular dos Laboratórios e Netbooks.ver
14/07/2011Brasilina PassarelliPrograma de Inclusão Digital Acessa SP www.acessasaopaulo.com.br. Incentiva o protagonismo digital em comunidades carentes .Programa Acessa SP destinado a incentivar o protagonismo digital e a inclusão social de comunidades carentes . Desenvolvido em parceria com o Governo do Estado de São Paulo. Tem como principais atividades o gerenciamento de 620 infocentros localizados no estado de São Paulo; 50 milhões de usuários e 1200 monitres / mediadores dos infocentros. As atividades contemplam a arquitetura do portal e atualização das informações; a capacitação de monitores para os infocentros; cursos online; plebiscitos e surveys sobre assuntos de interesse das comunidades. Propiciao o desenvolvimento da cidadania e possibilita acesso às informações nas áreas de saúde, educação, negócios e serviços governamentais disponíveis na Internet. Detentor de vários prêmios de melhor projeto de inclusão digital.ver
14/07/2011Celia Maria de Moraes DiasHospitalidade: da imagem ao simbólicoPesquisa exploratória, documental e de campo, que visa levantar elementos simbólicos relacionados à hospitalidade, junto a amostra intencional de pessoas, escolhidas entre profissionais, docentes e discentes da área de turismo, hotelaria e hospitalidade. O trabalho está baseado em exercício de aplicação de metodologia utilizada por Vasconcelos (2003), que desenvolve o que denomina “Relatório de percepção para criação de marcas”. Pretende-se avaliar a existência de elementos fundamentais que refiram a hospitalidade, em particular uma hospitalidade brasileira ou “hospitalidades regionais”, de forma a poder subsidiar análises e pesquisas, para orientar a pequena hotelaria nacional, bem como a utilização em material publicitário. ver
03/11/2011Celso FredericoTrabalho e comunicação: a desmaterialização do realPesquisa teórica que procura entender como autores de diversas tendências relacionaram trabalho e comunicação. A herança iluminista presente fez com que esses autores, de uma forma ou de outra, retomassem o tema da emancipação humana. Em qual dos polos – trabalho ou comunicação – devemos pensar a emancipação? As respostas dadas, quase sempre, partiram de um determinismo tecnológico. 1) Há, inicialmente, aqueles que se situam no interior de uma problemática comunicacional. A centralidade da linguagem, presente desde sempre no estruturalismo, teve continuidade no pós-estruturalismo ou, como preferem nomear os franceses, no pós-modernismo. O pioneiro dessa concepção é Wiener, o “pai” da cibernética. A partir das ideias desse autor – mas longe de sua inspiração humanista – desenvolveram-se as várias teorias da “sociedade da informação”, “capitalismo cognitivo”, “sociedade pós-industrial” etc. O computador enfim desbancaria o mundo fabril e as antigas classes sociais que dividiam a sociedade. A produção material seria substituída pelo conhecimento, a democracia atingiria a sua perfeição na “ágora eletrônica”, e a “classe do conhecimento”, exercendo o seu poder, promoveria a transição de uma economia mercantil para uma “economia de dádiva”, cujo modelo é o compartilhamento de informações propiciado 2) Uma segunda corrente, diferentemente da primeira, não parte da comunicação, mas das metamorfoses ocorridas na esfera da produção, vale dizer, das transformações ocorridas na esfera do trabalho. O texto inaugural é o Grundrisse, momento em que Marx especula sobre o futuro do trabalho. No capitalismo plenamente desenvolvido, segundo o seu prognóstico, a riqueza tende a tornar-se “menos dependente do tempo de trabalho” e dependeria mais “do estado geral da ciência e do progresso da tecnologia, ou da aplicação da ciência à produção”. Desse modo, a ciência, como “força produtiva máxima”, projeta o fim da lei do valor- A partir daí, diversos autores passaram a ver nas transformações tecnológicas a promessa da emancipação social ou, ao menos, os espasmos finais da sociedade capitalista. A produção material, no novo estágio pós-industrial, perde progressivamente o seu papel central, ao ser substituída pela “significação” e pela “imaterialidade”. A nova forma de produção depende essencialmente da comunicação entre os agentes e de seus saberes. Trata-se, portanto, de uma “lingustic turn” ocorrida no próprio trabalho. Perfilam-se aqui, entre outros, os teóricos do “trabalho imaterial” (Negri, Lazzarato, Gorz), da “sociedade em rede” (M. Castells), da “sociedade informática” (Adam Schaff) e da “sociedade informacional” Partindo da comunicação ou do trabalho, as duas correntes acima, convergem na desmaterialização do real, na centralidade da comunicação e no otimismo com relação ao desenvolvimento tecnológico.ver
26/10/2011Cibele Araújo Camargo Marques dos SantosIndicadores temáticos e de internacionalização da produção científica brasileira em organização da informação e do conhecimento em bases de dados bibliográficasMapeamento da produção científica sobre a Organização da informação e do conhecimento em artigos indexados nas bases de dados bibliográficas internacionais para obter indicadores temáticos e o grau de internacionalização dessa produção. Realizado a partir de artigos de periódicos brasileiros e internacionais indexados nas bases de dados: SciVerse Scopus, Web of Science e LISA (Library and Information Science Abstract). Permitirá identificar tendências de pesquisa e subsidiar políticas de pesquisa que contribuam para dar maior visibilidade à produção científica brasileira na área.ver
14/07/2011Ciro Juvenal Rodrigues Marcondes FilhoO Dilema da Incomunicabilidade, IIIO projeto de pesquisa “O dilema da incomunicabilidade” busca investigar o truncamento da comunicação no plano da relação entre a subjetividade e o mundo circundante, no plano das trocas singulares entre gêneros e no plano mais geral das irradiações impessoais "de massa" e no campo virtual. No campo das formas sociais amplas da difusão em massa, a incomunicabilidade se dá, por hipótese, na produção e emissão de notícias, onde os jornalistas e as empresas de comunicação irradiam quantidades diárias de sinais, cuja receptividade é incerta e cujos efeitos não podem ser plenamente verificados. O jornalismo produz informações que são veiculadas e assim apreendidas pelo público receptor mas cujo efeito não é o de realizar transformações de fundo, a saber, comunicabilidade stricto sensu, mas, enquanto sistema de alarme, chamar a atenção para fatos que exijam ação de outros atores sociais. Na formas digitais, a incomunicabilidade ocorre por força do uso restrito das potencialidades linguísticas e das restrições do meio, particularmente na ausência do face a face da comunicação presencial. No plano intersubjetivo, a incomunicabilidade efetiva-se como diferença inconciliável entre os sexos, desconhecendo o sexo masculino a particularidade comunicacional lógica e existencial do feminino, tentando reduzi-la à sua fórmula e à sua própria sexualidade. Essa dificuldade se torna ainda mais explícita no relacionamento de casais, onde o universo da diferença estrutural das singularidades sexuais alcança seu paroxismo na patologia da incomunicabilidade conjugal. No plano individual, a incomunicabilidade acontece no isolamento de cada um como "impossibilidade radical de sair de si" ou de partilhar vivências e emoções que se encontram na vida solitária da alma. Apesar disso, há uma vontade de comunicar que, em casos extremos, torna-se desespero por comunicação que só acaba se realizando no "extremo possível do homem", como, por exemplo, nas formas do suicídio. ver
08/08/2011Cristian da Silva BorgesDa Passagem à Cinemática: Do fundamento da imagem cinematográfica a uma ciência da fuga como forma de análise do movimentoEste projeto de pesquisa, iniciado em 2008, com bolsa de pós-doutorado da Fapesp e supervisão do professor Ismail Norberto Xavier, propõe-se como um prolongamento e um aprofundamento em algumas das questões apenas apontadas por minha tese de doutorado, realizada na Universidade de Paris III - Sorbonne Nouvelle, sob orientação do professor Philippe Dubois. Nesta tese, cujos temas centrais são a composição fílmica – a construção de um filme, desde as primeiras imagens na cabeça do realizador até as últimas, surgidas na cabeça do espectador – e a identificação de um certo “cinema em fuga” – ou de uma “fuga do cinema”, visível em alguns filmes –, esboçam-se dois pontos essenciais que merecem, a meu ver, ser melhor desenvolvidos e analisados. Por um lado, as vicissitudes do que defino, a partir dos escritos de Roland Barthes sobre a fotografia, como sendo o fundamento da imagem cinematográfica: a passagem. Por outro lado, o estudo dos “movimentos de fuga” no cinema: a Cinemática ou Ciência da Fuga, inspirada por Paul Valéry e pelo cruzamento de suas propostas de Poiética (a “Ciência do Belo”) e Estésica (a “Ciência das Sensações”). Um estudo de Estética, portanto, que partirá dos próprios filmes e de seus movimentos – sem qualquer preocupação especulativa em relação às suas possíveis causas ou interpretações –, a fim de compreender, o máximo possível, as nuances e sutilezas desse “cinema em fuga” e da própria “matéria cinematográfica”, escapando assim das convenções narrativas para encontrar na dinâmica dos movimentos (nas imagens e das imagens) novas formas de leitura de um filme – levando, em última instância, a uma abordagem do vídeo e das imagens digitais.ver
14/07/2011Cristian da Silva BorgesDos métodos gráficos a uma ciência da fuga como forma de análise do movimento no cinemaEste projeto de pesquisa propõe um estudo aprofundado do movimento no cinema – sua função, seu sentido, sua frequência, suas recorrências e variações etc. –, a fim de que se possam identificar algumas das modalidades desse movimento, em relação a certos parâmetros do que denomino Cinemática ou Ciência da Fuga. Trata-se da segunda etapa de uma pesquisa, iniciada em 2008, com bolsa de pós-doutorado da FAPESP e supervisão do prof. Ismail Xavier, na ECA-USP.ver
14/07/2011Dennis de OliveiraRacismo e dinâmicas de subalternização étnicaAs discussões das relações raciais no Brasil se pautam pela particularidade de aqui no país o racismo se desenvolveu sob a égide do assimnilacionismo, contrário a outras experiências como nos Estados Unidos e na África do Sul no período do apartheid, em que as assimetrias raciais se expressavam pela guetificação e apartação dos grupos racialmente classificados como indesejáveis. O racismo assimilacionista se, por um lado, não apresenta mecanismos violentos de segregação a ponto de que o princípio formal-iluminista da igualdade seja desrespeitado como nos projetos de apartação; por outro, cria uma falsa imagem de que o racismo é mitigado, ou ainda que não existe. Por esta razão, no período de celebração do tricentenário de Zumbi dos Palmares, em 1995, o jornal Folha de S. Paulo disseminou o conceito de "racismo cordial"- um termo, por si só, contraditório, uma vez que combina uma prática de natureza não tolerante (racismo) com outra de tolerância (cordialidade). De qualquer forma, a força de formação de opinião pública junto à classe média combinado com a dificuldade de assumir a condição de uma sociedade de práticas racistas já consolidado na cultura política brasileira, fez com que este conceito cunhado pela Folha ganhasse terreno e reforçasse uma percepção hegemônica no país de que existe o racismo mas a maioria não se considera racista. Temos, assim, um racismo gestado como um simulacro ou ainda como um ente fantasmagórico, como um "mal" que ronda as nossas vidas, mas sem uma referência material e concreta que permita uma atitude política de combate ao mesmo. Percebendo o "racismo" como um mal, na lógica da tradução cultural ocidental, este mal pode ser associado ao "desconhecido"- o que não pode ser explicado pela razão, na mesma perspectiva kantiana do noumeno e que, por este motivo, gera medo ver
14/07/2011Dennis de OliveiraMÍDIA ALTERNATIVA, CULTURA POPULAR E ESPAÇO PÚBLICO NO BRASIL, ARGENTINA, EQUADOR E COLÔMBIA Este projeto pretende fazer um estudo de do potencial de experiências de mídias alternativas em países da América Latina – Brasil, Argentina, Colômbia e Equador. Para a promoção da diversidade cultural. Para isso, faremos uma análise das matérias veiculadas em periódicos do Brasil, Argentina e Colômbia para verificar as fontes utilizadas na construção das matérias da área de cultura, as modalidades de expressão cultural mais citadas e de que forma as reflexões sobre estas se aproximam dentro de uma perspectiva de construção de um diálogo intercultural nos moldes apontados pelo relatório da diversidade cultural da Unesco.ver
30/08/2011Dália RosenthalPrática transdisciplinar na formação do professor de ArteEste projeto de pesquisa dá início aos estudos sobre transdiciplinaridade em Arte realizados no âmbito do NAI - Núcleo de Pesquisa e Laboratório de Arte Integral do Departamento de Artes Plásticas da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. O objetivo deste estudo é sistematizar as contribuições da prática transdisciplinar para formação do professor de arte. Na presente etapa do projeto, pretende-se compilar, resenhar e comentar a documentação existente sobre transdisciplinaridade e prática transdisciplinar em Arte no Brasil e descrever experiências de trandisciplinaridade no ensino aprendizagem da Arte. Para isso será realizado um estudo descritivo do tipo qualitativo utilizando análise documental e entrevistas. O trabalho de análise documental incluirá a realização de leituras, fichamentos, elaboração de resenhas e de bibliografia comentada. Este trabalho será feito a partir de levantamento bibliográfico sobre prática transdisciplinar e transdisciplinaridade em Arte, acrescido de novas fontes de informação investigadas durante a realização da pesquisa. As entrevistas, por sua vez, serão realizadas com pesquisadores do pensamento transdisciplinar em Arte na contemporaneidade.ver
31/03/2014Eduardo Henrique Soares MonteiroEstudo da interpretação de obras do Repertório pianístico.Esta pesquisa visa registrar as escolhas de ordem interpretativa assim como suas razões, motivações e conclusões durante o processo de aprendizado de uma obra por parte de seu autor. Essas conclusões e escolhas se relacionam tanto a aspectos físico-motores, quanto a questões interpretativas em geral (articulação, dinâmica, agógica, pedalização, argumentos e imagens poéticas). Pretende-se assim correlacionar as atuações como intérprete e pesquisador do autor deste trabalho. No momento, a obra que se configura como objeto da pesquisa é a Sonata op. 111 de Beethoven. Sua duração é de março de 2014 a setembro de 2015.ver
14/07/2011Eduardo Henrique Soares MonteiroEstudo da interpretação de obras do Repertório pianístico.Esta pesquisa visa registrar as escolhas de ordem interpretativa assim como suas razões, motivações e conclusões durante o processo de aprendizado da Sonata em Si menor de Liszt por parte de seu autor. Essas conclusões e escolhas se relacionam tanto a aspectos físico-motores, quanto a questões interpretativas em geral (articulação, dinâmica, agógica, pedalização, argumentos e imagens poéticas). Pretende-se assim correlacionar as atuações como intérprete e pesquisador do autor deste trabalho.ver
14/07/2011Eduardo SeincmanO Spleen de Paris - obras para canto, piano e quarteto de cordasÉ um desenvolvimento e conseqüência de projetos anteriores na área da composição musical. Sua ênfase está calcada na experiência estética das relações entre texto e música, as quais foram especialmente abordadas, artística e teoricamente, nas seguintes publicações (livros e Cds): 1. LIVROS - Estética da comunicação musical (Via Lettera, 2008), Sonata do absoluto (Edusp/Imprensa Oficial, 2007), Do tempo musical (Via Lettera, 2001); CDs - Histórias Fantásticas (Petrobras, 2009), Em Movimento (CEPEUSP, 1996), A Dança dos Duplos (ECA-MAC, 1995); além do site www.historiasfantasticas.mus.br que oferece download de partituras, músicas e a distribuição gratuita de CDs. ver
14/07/2011Eduardo SeincmanEstética da Comunicação MusicalTrata-se de uma pesquisa a respeito da comunicação musical sob o ponto de vista estético, englobando a análise de obras, a discussão sobre o discurso e a linguagem musicais e a contribuição dos demais campos humanísticos (artísticos, filosóficos etc.) para a reflexão do que vem a ser a escuta, a recepção, a interpretação e a criação musical do ponto de vista comunicacional. O projeto resultou no livro "Estética da Comunicação Musical" (Via Lettera, 2008ver
14/07/2011Eduardo Simões dos Santos MendesO que os teóricos e críticos brasileiros do cinema brasileiro pensam sobre a trilha sonora dos filmes brasileiros?É por muitos defendida a tese que, no universo audiovisual, imagem e som têm a mesma importância estética/narrativa no desenvolvimento de uma obra. Porém será que é isso que se reflete nos escritos brasileiros sobre cinema brasileiro? Se considerarmos que a maioria dos teóricos do cinema brasileiro está ligada a instituições de ensino, que forma de leitura de obras audiovisuais está sendo ensinada às novas gerações? Será que a relação audiovisual existente nos filmes é considerada nas análises desse grupo? Em uma passada de olhos por parte da bibliografia mais utilizada pelos cursos de cinema e audiovisual, para não dizer que toda a banda sonora era desconsiderada, a fala é, eventualmente, considerada. Mesmo em coletâneas de ensino de teoria cinematográfica, a teoria do som também é desprezada. Se estivéssemos nos anos 60, ou mesmo no início dos 70, essa opção, mesmo que discutível por princípio, seria mais natural pois não havia a gama de novos teóricos que surgiram após o Dolby Stereo chamar a atenção de pesquisadores para a trilha sonora. Porém, hoje, depois de nomes como Altman, Chion, Bordwell, Thompsom, Weis, Gorbman e muitos outros que há mais de 30 anos mantêm uma bibliografia sólida e crescente, creio que essa opção – de só analisar os filmes a partir de seu universo imagético, não faz mais nenhum sentido. Até porque, como se sabe, a percepção da imagem é alterada conforme o som que a acompanha. O contrato audiovisual de Chion propõe que uma imagem, num meio audiovisual como o cinema, nunca seja considerada sem o som que a integra. É o som que irá dizer qual percepção da imagem o criador do filme deseja. Esta pesquisa, então, se propõe a reler alguns dos mais importantes teóricos e críticos do cinema brasileiro que ainda estão em atividade para mapear qual a relação desses autores com a trilha sonora cinematográfica e, consequentemente, como a academia hoje ensina seus estudantes a lerem obras audiovisuais.ver
03/11/2011Eduardo Tessari CoutinhoO TEXTO CORPORAL DO ATOR EM CENAMinha pesquisa, na área da prática teatral, visa a desenvolver uma dramaturgia corporal na cena teatral. Suas bases teóricas e práticas provêm da linguagem da mímica, tomada aqui como uma técnica de ator. O objetivo é criar procedimentos que facilitem a compreensão de uma escrita cênica elaborada pelo corpo do ator. Estes procedimentos permitem ao ator uma maior consciência dessa escrita, levando-o a reconhecer e a optar pelas ações que melhor representem o que ele deseja, resultando em uma maior precisão em termos de linguagem teatral. Isso contribui para que o ator adquira autonomia. A pesquisa acontece durante a criação e a apresentação de um espetáculo teatral, baseado em um processo de trabalho coletivo, seja em um espetáculo solo ou com mais atores. O jogo e a improvisação tornam-se aí os instrumentos básicos, pois a construção da cena parte necessariamente da ação dos atores. Assumindo que o fazer teatral se dá na relação com a sociedade como uma ação ética e política, o conhecimento pesquisado também é posto em diálogo com outras áreas de investigação. Campos de estudo que têm conexão direta com o corpo e com as relações humanas, como a terapia ocupacional e a psicologia, em particular o psicodrama, são parceiros em potencial. Também a experiência do trabalho em grupo é um tema desenvolvido nesta troca com a sociedade. ver
02/10/2011Eduardo VicenteRÁDIO NOVO: critica social e experimentação estética no radiodrama paulistanoo objetivo desse projeto é o de analisar a produção ficcional radiofônica desenvolvida na cidade de São Paulo ao longo dos anos 50 tentando identificar elementos que aproximem essa produção da efervescência política e cultural que, nos anos 60, marcaria iniciativas desenvolvidas em outras áreas de nossa indústria cultural, especialmente o cinema, a música e o teatro. Para tanto, a pesquisa deverá se concentrar nas produções realizadas para o rádio paulista por três autores: Dias Gomes, Túlio de Lemos e Osvaldo Molles. Diante desse cenário, o projeto propõe três movimentos principais: 1) a apresentação da trajetória desses autores em relação ao cenário político e cultural do período; 2) a contextualização da produção radiofônica paulista dentro do cenário mais amplo do desenvolvimento da indústria cultural no país, além do estabelecimento de um contraponto entre essa produção ficcional mais “local” e aquela desenvolvida pela Rádio Nacional do Rio de Janeiro que, por seus recursos e por sua natureza (emissora Estatal), abrangia todo o território nacional; 3) exemplificação da produção então desenvolvida através da análise de produções dos três autores citados, atividade que servirá como base para uma proposta de atualização do referencial teórico e analítico tradicionalmente utilizado no rádio para a discussão de sua linguagem.ver
02/10/2011Eduardo VicenteRADIOTECA: Implantação e Gerenciamento de uma Webradio acadêmica Esse projeto objetiva a implantação de uma webradio no Departamento de Cinema Rádio e TV da ECA/USP, bem como a organização e sustentação de sua grade de programação. Essa rádio funcionará como uma emissora experimental, oferecendo aos alunos a oportunidade de discutir os diferentes aspectos envolvidos nas áreas de produção e gerenciamento de uma rádio. Ela viabilizará tanto o desenvolvimento de programas ao vivo e/ou seriados – de produção pouco freqüente dentro da dinâmica de um curso de graduação – quanto de atividades integradas entre alunos de diferentes departamentos (envolvendo, especialmente, alunos da Música, Publicidade e Jornalismo). Adicionalmente, ela oferece oportunidades tanto para a recuperação e pesquisa acerca do acervo de produções radiofônicas desenvolvidas ao longo da história do curso quanto para a sistematização e difusão dos conhecimentos necessários para o desenvolvimento de uma webradio. ver
14/07/2011Eduardo VicenteO OUTRO LADO DO DISCO: A Memória Oral da Indústria Fonográfica BrasileiraConsistiu na constituição de um acervo hemerográfico e na coleta e transcrição de depoimentos de profissionais da indústria fonográfica como engenheiros de gravação, produtores musicais, divulgadores e executivos. O projeto tinha como objetivo principal permitir a constituição de uma base de informação para diferentes projetos de pesquisa sobre a indústria fonográfica no Brasil.ver
18/08/2011Eduardo Victorio MorettinExercícios de história cultural conectada: caminhos cruzados entre Brasil, América Latina e FrançaEste projeto se concentrará em áreas menos pesquisadas da história cultural conectada entre América Latina, Brasil e França, notadamente nos seguintes temas: a) Eventos culturais; b) Produções culturais; c) Agentes culturais. O estudo do sistema de representações , entendido como constructo histórico e dinâmico, também se constitui em outro eixo importante deste projeto, até porque se alimenta e é alimentado pelas manifestações culturais citadas. No primeiro item, poderíamos enquadrar as exposições internacionais, que tanto marcaram o imaginário do século XIX no plano sócio-cultural. Além disso, há uma profusão de festivais de música e, principalmente, de cinema, que são exemplos de intercâmbios entre a arte latino-americana e a cena cultural francesa. No cinema, os festivais de Biarritz e Cannes, na música, o Midem, foram espaços importantes de difusão do cinema e da música latino-americana (particularmente brasileira), em solo francês. No campo das produções culturais, nosso objetivo é mapear a circulação de filmes, obras pictóricas, obras musicais e impressos entre França e América Latina. Finalmente, no campo dos agentes sociais e instituições, o projeto tentará dar conta de personalidades (artistas, intelectuais, produtores, gestores) que funcionam como verdadeiros mediadores ou passeurs entre as formações culturais originárias, desenhando redes e mapas pelos quais as produções e os eventos se conectam uns aos outros. Meu projeto dentro deste quadro complementa a pesquisa financiada pelo CNPq intitulada O cinema e as comemorações do centenário da Independência do Brasil: história, memória e monumento, que tem por objetivo principal discutir a presença do cinema nas comemorações do centenário da Independência do Brasil, principalmente na Exposição Internacional do Centenário, ocorrida entre 1922 e 1923 na cidade do Rio de Janeiro. A perspectiva é a de traçar um histórico referente a esta participação nas exposições universais entre 1893 (World’s Columbian Exposition, Chicago) e 1937 (Exposition Internationale des Arts et Techniques dans la vie moderne, Paris). ver
14/07/2011Eduardo Victorio MorettinO cinema e as comemorações do centenário da Independência do Brasil: história, memória e monumentoPretendemos examinar a produção documental brasileira do período silencioso vinculada tematicamente à representação de eventos cívicos e espaços monumentais típicos de uma metrópole no Brasil nas primeiras décadas do século XX. O objetivo principal é a presença da cinematografia do país nas comemorações do centenário da Independência do Brasil, principalmente na Exposição Internacional do Centenário, ocorrida entre 1922 e 1923 na cidade do Rio de Janeiro. Serão abordados os documentários produzidos para esse momento, analisando a imagem construída do país por meio de filmes como No paiz das Amazonas (1922), de Silvino Santos, dentre outros, bem como examinar a relação das obras com os projetos ideológicos que lhe deram origem. Além desse aspecto, pretendemos discutir a propósito desse tema as relações entre Estado e cinema, pensando o lugar ocupado pelo novo meio de comunicação dentro das ações idealizadas para construir uma imagem do país diante da comunidade internacional.ver
14/07/2011Esther Imperio HamburgerDigitalização do Acervo da Extinta TV TUPIEsse projeto a pretende digitalizar o material atualmente em bitola Quadruplex pertencente ao acervo da extinta TV TUPI. Com exceção do material jornalístico que compõem o acervo da TV Tupi em película, e que já foi digitado e disponibilizado online, o restante do acervo da emissora pioneira de televisão brasileira se encontra no formato de vídeo quadruplex, o que iinvibiliza a consulta. Esse projeto prevê a aquisição do equipamento necessário e o início da digitalização e disponibilização do acervo em vídeo, que inclui telenovelas e programas diversos. A digitalização do acervo, a ser conduzida pela Cinemateca Brasileira, permitirá o desenvolvimento da pesquisa de material inédito e relevante na história da teledramaturgia brasileira.ver
14/07/2011Esther Imperio HamburgerRede de Telas: Novas Formas de Expressão no Cinema e na TVver
14/07/2011Esther Imperio HamburgerEMU Aquisição de equipamento de edição e exibição para o Laboratório de Investigação e Crítica Audiovisual LAICAEsse projeto visa adquirir equipamento de edição e exibição para o recém criado Laboratório de Crítica e Investigação audiovisual (LAICA). O LAICA é interdisciplinar e reúne pesquisadores dos Grupos de Pesquisa em História do Cinema, Imagem e Vida na Metrópole e do projeto temático Pensamento Social e Indústria Cultural Contemporânea, além de outros pesquisadores engajados na pesquisa e na crítica do Cinema e da Televisão em torno da organização do primeiro laboratório de crítica e pesquisa na área. A idéia é criar uma infra-estrutura compartilhada para a exibicão e elaboração de objetos audiovisuais. A infra-estrutura inicial inclui equipamento completo, de som e projeção em alta definição, para um auditório do prédio novo do Departamento de CInema, Rádio e Televisão e equipamento de edição e redação para a sala do LAICA. Essa sala de exibicão será compartilhada pelos diversos projetos citados além de projetos complementares como os projetos dos pesquisadores pós-doutores e alunos de graduacão e pós-graduação, especialmente o projeto "Rivers". O laboratório oferecerá infra-estrutura para a realização de ensaios audiovisuais, para o processamento e copiagem de materiais em diversas mídias, para legendagem de obras estrangeiras, para a redação de trabalhos críticos. Além da infra-estrutura para pesquisas da area de teoria e historia do Departamento de CInema Radio e Televisao, o laboratório se abre para o compartilhamento em duas frentes: de um lado, a Cinemateca Brasileira, com seu laboratório de preservação e conservação de cinema e televisão e de outro o Centro de Computação Eletrônica da USP, especializado na instalação e desenvolvimento de redes. O CCE está no momento terminando de ligar a Cinemateca e o CTR em uma rede de 10K que permitira a prática da transmissão de conteúdos fílmicos em alta definição. A sala de exibição permitira que esses conteúdos sejam assistidos com a qualidade de definicão acustica e visual que a transmissõ permite. ver
14/07/2011Esther Imperio HamburgerOlhares Poéticos sobre a Desigualdade Social BrasileiraEsse projeto está organizado em duas vertentes que dão continuidade à problemática anteriormente desenvolvida. A primeira vertente, a partir do amplo mapeamento de interlocuções fílmicas sobre a temática da violência e da pobreza, propõe um estudo de caso em profundidade sobre o filme Fábula de Arne Sucksdorff, obra pouco vista e pouco estudada, que no entanto pode ser compreendida como uma contribuição poética para as representações da desigualdade carioca para além de estereótipos. A segunda vertente trás para o âmbito da Universidade a experiência de promoção de interlocuções entre realizadores atuantes nos diversos meios, vídeo arte, cinema da quebrada, cinema e televisão e segmentos do público através de uma mostra de trabalhos que tratam da pobreza brasileira acompanhada de seminário. À diferença de outras mostras realizadas sobre o assunto, essa pretende misturar diferentes suportes audiovisuais com a intenção de explorar as tensões entre esses meios e formas em busca de expressões poéticas que permitam a desarticulação de formas espetaculares e o despertar da imaginação. A idéia é concluir o trabalho em torno das “apropriações dos mecanismos de construção da visualidade” com uma intervenção que facilite o enfrentamento do debate político e estético as vezes reprimido por questões de cobrança sobre o pertencimento dos realizadores. A escolha do filme de Sucksdorff, um estrangeiro que revelou o Rio de Janeiro a partir de ângulos originais sugere o espírito provocador desse estudo que através de um ensaio e uma mostra acompanhada de debates pretende contribuir para a busca de expressões poéticas que contribuam para desarticular estereótipos que reforçam discriminações de Gênero, classe e cor.ver
30/08/2011Eugênio BucciA instância da imagem ao vivo, o telespaço público e a fabricação de valor na indústria do imaginárioProrrogação de trabalho anteriormente proposto pelo professor, o presente projeto tem por objetivo prosseguir a pesquisa realizada entre 2008 e 2010, que resultou na publicação de 8 artigos, buscando um formato final para o texto, com base no roteiro das aulas ministradas pelo docente na pós-graduação da Escola de Comunicações e Artes. A seguir, a relação dos artigos resultante do biênio 2008-2010 1. BUCCI, Eugênio. Um preâmbulo: o “raio visual” ou as memórias de infância. In: NOVAES, Adauto, (org). Mutações – A experiência do pensamento. Rio de Janeiro: Agir Editora Ltda. e São Paulo: Edições SESC SP, 2010, p. 289-321. ISBN: 978-85-7995-004-9. 2- BUCCI, Eugênio. Aquilo de que o humano é instrumento descartável: sensações teóricas. In: NOVAES, Adauto, (Org). A Condição Humana – as aventuras do homem em tempos de mutações. Rio de Janeiro: Agir Editora Ltda. e São Paulo: Edições SESC SP, 2009, p.375-394. ISBN: 978-85-220-1060-8 (Agir) – 978-85-98112-90-9 (Edições SESC SP) 3 - BUCCI, Eugênio. TV Pública e Democracia. Interesse Nacional, São Paulo, Editora Ateliê Editorial, n. 1, p.65-75, abr. jun.2008, ISSN 1982-8497. (pasta 18 – pag. 74) 4 - BUCCI, Eugênio. Em torno da instância da imagem ao vivo. Revista Matrizes, ano 3, nº. 1, p.65-79, ago/dez 2009. ISSN: 1982-8160. 5- BUCCI, E. É possível fazer televisão pública no Brasil?. Novos Estudos CEBRAP (Impresso), v. 88, p. 5-18, 2010. 6- BUCCI, E. Direito à Informação e Interesse Nacional. Interesse Nacional, v. 3, p. 54-62, 2010. 7-BUCCI, E. A Agenda Certa (numa Hora Estranha e num lugar descolado). Interesse Nacional, v. 12, p. 09-15, 2010 8- BUCCI, E. A razão de ser das emissoras públicas na democracia. Interesse Nacional, v. 1, p. 65-75, 2008. ver
25/08/2011Eugênio BucciMontagem de site sobre ensino e pesquisa em jornalismoPlanejamento e desenvolvimento de um site sobre pesquisa e ensino em jornalismo no Brasil e no mundo. O projeto, realizado em conjunto com os alunos do curso de jornalismo online da Escola de Comunicações e Artes durante o primeiro e segundo semestres de 2011, divide-se em duas etapas: elaboração de plano editorial para criação de um site para o Departamento de Jornalismo e Editoração (já concluída); criação e manutenção de um site baseado em uma parte do plano anterior, tratando da realidade e circunstâncias do ensino do jornalismo no Brasil e no mundo. A pesquisa inclui o monitoramento de centros de pesquisa e ensino nas Américas e Europa, para elaboração das matérias jornalísticas que integrarão o trabalho (etapa em andamento).ver
25/08/2011Eugênio BucciManual de ética jornalísticaOrganização de livro didático sobre ética jornalística, a partir das aulas ministradas na disciplina de Ética, ministrada na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulover
25/08/2011Eugênio BucciEleições Conectadas - o comportamento da Internet durante as eleições presidenciais de 2010Criação de um site com a cobertura jornalística em profundidade do modo como a internet foi usada durante as eleições presidenciais de 2010. Projeto de pesquisa em forma de grande reportagem realizado com os alunos da disciplina de jornalismo online da Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP, segundo semestre de 2010. Os resultados do projeto - matérias produzidas pelos alunos de gradaução sob orientação do docente - permanecem disponíveis para consulta na rede. http://www.eca.usp.br/eleicaoconectada/ver
25/08/2011Eugênio BucciA instância da imagem ao vivo, o telespaço público e a fabricação de valor na indústria do imaginárioRever a bibliografia relativa à tese de doutorado defendida em 2002, na ECA-USP, sob o titulo de Televisão Objeto - A Critica e suas questões de Método?, bem como a própria tese, e revisitar as 15 aulas em formato de conferência ministradas no curso de pós-graduação oferecido pelo docente no primeiro semestre de 2009, na ECA-USP, baseadas na tese e em pesquisas posteriores, com o objetivo de redigir um livro em 14 capítulos. A revisão do texto da pesquisa foi concluída, embora o texto, em sua íntegra, ainda não tenha sido proposto para uma editora, como era a ideia inicial. Em lugar disso, essa revisão deu origem a alguns ensaios ou artigos acadêmicos que, estes sim, foram publicados. Pelo menos oito deles merecem menção: 1. BUCCI, Eugênio. Um preâmbulo: o “raio visual” ou as memórias de infância. In: NOVAES, Adauto, (org). Mutações – A experiência do pensamento. Rio de Janeiro: Agir Editora Ltda. e São Paulo: Edições SESC SP, 2010, p. 289-321. ISBN: 978-85-7995-004-9. 2- BUCCI, Eugênio. Aquilo de que o humano é instrumento descartável: sensações teóricas. In: NOVAES, Adauto, (Org). A Condição Humana – as aventuras do homem em tempos de mutações. Rio de Janeiro: Agir Editora Ltda. e São Paulo: Edições SESC SP, 2009, p.375-394. ISBN: 978-85-220-1060-8 (Agir) – 978-85-98112-90-9 (Edições SESC SP) 3 - BUCCI, Eugênio. TV Pública e Democracia. Interesse Nacional, São Paulo, Editora Ateliê Editorial, n. 1, p.65-75, abr. jun.2008, ISSN 1982-8497. (pasta 18 – pag. 74) 4 - BUCCI, Eugênio. Em torno da instância da imagem ao vivo. Revista Matrizes, ano 3, nº. 1, p.65-79, ago/dez 2009. ISSN: 1982-8160. 5- BUCCI, E. É possível fazer televisão pública no Brasil?. Novos Estudos CEBRAP (Impresso), v. 88, p. 5-18, 2010. 6- BUCCI, E. Direito à Informação e Interesse Nacional. Interesse Nacional, v. 3, p. 54-62, 2010. 7 -BUCCI, E. A Agenda Certa (numa Hora Estranha e num lugar descolado). Interesse Nacional, v. 12, p. 09-15, 2010. 8 - BUCCI, E. A razão de ser das emissoras públicas na democracia. Interesse Nacional, v. 1, p. 65-75, 2008. ver
28/09/2011Fausto Roberto Poço VianaDos cadernos de SophiaReunião e revisão crítica de todos os textos e desenhos sobre indumentária elaborados ao longo de três décadas, entre 1940 e 1960, por Sophia Jobim, professora da Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro. ver
04/10/2011Ferdinando Crepalde MartinsCORPO, GÊNERO E SEXUALIDADE NO TEATRO BRASILEIRO: DA REPRESSÃO À CENA CONTEMPORÂNEA Este projeto dá continuidade às investigações iniciadas com a pesquisa Corpo e Interdição: Análise histórico-sociológica sobre Arte e Comunicação no século XX a partir de processos de censura prévia ao teatro em São Paulo, pesquisando as relações de gênero e as manifestações da sexualidade no teatro brasileiro nas décadas de 1970 a 2010. Visa à construção de uma representação espacial do campo teatral brasileiro sob a ótica da sexualidade e da moralidade, buscando uma compreensão ampla de suas condições estruturantes do campo teatral brasileiro e suas relações sociais e estéticas. ver
04/10/2011Ferdinando Crepalde MartinsINTERDIÇÃO E PRODUÇÃO SIMBÓLICA: A CENSURA AO CINEMA E AO TEATRO NA REPÚBLICA ISLÂMICA DO IRÃMuitos relatos que chegam ao Ocidente sobre a República Islâmica do Irã tratam do cerceamento do direito à informação e à manifestação artística. No entanto, a simples comparação entre a liberdade de expressão encontrada nos países ocidentais e a prática de interdição à produção simbólica no Irã não dá conta da complexidade do fenômeno censório nesse país. O presente projeto trata da censura à produção simbólica (cinema e teatro) na República Islâmica do Irã no período pós-Revolução de 1979. O objetivo é investigar as interdições governamentais ao cinema e ao teatro nesse país a fim de discernir os parâmetros político-culturais da prática censória. Para tanto, analisa a censura e outros mecanismos, oficiais ou não, de cerceamento à liberdade de expressão, de 1979 a 2010. O projeto prevê pesquisa bibliográfica, documental, iconográfica e audiovisual; viagem de campo; e entrevistas em profundidade. Dessa forma, pretende-se construir uma representação espacial do campo artístico iraniano e a relação de seus agentes com a censura e outras instâncias de interdição. Além disso, contrasta as percepções sobre a prática censória e suas interdições com a recepção dos produtos culturais iranianos no Ocidente. Com isso, pretende-se chegar a uma compreensão ampliada da estruturação dos campos artísticos e do fenômeno da censura, temas caros à contemporaneidade.ver
14/07/2011Gilberto dos Santos PradoGrupo Poéticas DigitaisO Grupo Poéticas Digitais foi criado em 2002 no Departamento de Artes Plásticas da ECA-USP, como um desdobramento do projeto wAwRwT iniciado por Gilbertto Prado em 1995. A intenção é gerar um núcleo multidisciplinar, promovendo o desenvolvimento de projetos experimentais e a reflexão sobre o impacto das novas tecnologias no campo das artes. O Grupo tem como participantes professores, artistas, pesquisadores e alunos da graduação e da pós-graduação com composições distintas em cada projeto. Em 2002/03 foi desenvolvido o CD-ROM do livro Arte telemática: dos intercâmbios pontuais aos ambientes virtuais multiusuário. Entre os trabalhos experimentais desenvolvidos temos o videogame Cozinheiro das Almas (obteve o VI Prêmio Sergio Motta de Arte e Tecnologia, 2005 e exibido no ZKM, Alemanha em 2006), a partir do livro O Perfeito Cozinheiro das Almas deste Mundo de Oswald de Andrade. Em 2005, a instalação interativa Acaso30 de Gilbertto Prado que foi apresentada na Mostra Cinético Digital, Itaú Cultural. Indicado para o prêmio de instalação multimedia no 12º Festival Internacional de Artes e Culturas Digitales de Gran Canária, Espanha, 2006. Em 2007, o videopoema Incógnito, de Gilbertto Prado e Silvia Laurentiz, com som de Fernando Iazzetta apresentado na exposição Palavras sem fronteiras, na Academia Brasileira de Letras, RJ. Em 2008 a web/led/instalação pedralumen apresentada na mostra Chain Reaction no Museum of the City of Skopje, Macedônia, e também na Exposição Em Meios, no Museu Nacional da República, Brasília, em 2009 Desluz na Galeria Luciana Brito em São Paulo. Em 2010 foi realizado o projeto Amoreiras, selecionado para o Emoção Art.ficial VI no Itaú Cultural. Em 2011 foi realizado o projeto Catavento, instalação interativa, na exposição Em Meio # 3, no Museu Nacional da república, em Brasília, durante o evento 10. ART. .Atualmente o grupo está composto por: Gilbertto Prado,Agnus Valente, Andrei Thomaz, Clarissa Ribeiro, Claudio Bueno, Daniel Ferreira, José Dario Vargas, Luciana Ohira, Lucila Meirelles, Mauricio Taveira, Nardo Germano, Renata La Rocca, Sérgio Bonilha, Tânia Fraga, Tatiana Travisani e Valzeli Sampaio. www.poeticasdigitais.net poeticasdigitais.wordpress.com ver
08/08/2011Gilson Schwartzterceir@idadeO projeto terceir@idade integra uma rede de pesquisa e extensão no campo da inclusão digital com financiamento do Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq), com atendimento na Unidade de Inclusão Digital Lar São Vicente de Paulo, em Piracaia, São Paulo. As ações voltadas para a terceira idade também incluem o oferecimento de uma disciplina no programa USP Aberta à Terceira Idade assim como uma parceria com a Escola de Aplicação da USP, onde um bolsista de pré-iniciação científica poderá participar dos trabalhos de campo, análises e intervenções tanto em Piracaia quanto na USP.ver
14/07/2011Hugo Fernando Salinas Fortes JuniorArte, paisagem e biodiversidade no Campus da Universidade de São PauloO projeto de pesquisa propõe uma investigação teórico-prática das possibilidades atuais de apreensão poética da natureza através da arte contemporânea. O objeto de pesquisa é a natureza presente no próprio campus da cidade universitária Armando de Salles Oliveira da Universidade de São Paulo, estudada sob o ponto de vista da arte contemporânea. A partir de um embasamento teórico, a pesquisa pretende desenvolver a criação de obras de artistas plásticas utilizando fotografia, video e outros meios que retratem o meio ambiente da cidade universitária.O projeto pretende atualizar a noção do artista naturalista a partir da utilização de meios tecnológicos para a produção de obras artísticas.. ver
14/07/2011Hugo Fernando Salinas Fortes JuniorInterações entre natureza e ciência na arte contemporâneaEste projeto de pesquisa pretende investigar a produção artística contemporânea que trata da mudança de paradigmas da relação do homem com a natureza em virtude do crescente desenvolvimento tecnológico da atualidade. A interferência da ciência no mundo natural, bem como as alterações da percepção da paisagem na contemporaneidade têm gerado a produção de obras de arte que tematizam os problemas ecológicos, a biogenética, a manipulação econômica da natureza e a crítica à atividade científica. A relação entre homem e natureza na atualidade não se dá de forma ingênua e direta, mas sim mediada pela ciência e pela mídia. Artistas como Olafur Eliasson, Mark Dion e Eduardo Kac, entre outros, têm tratado destas questões em seus trabalhos realizados nas últimas décadas do século XX e devem ser melhor compreendidos a partir deste estudo.ver