Perguntas Frequentes - Sucupira

Nessa página estão listadas algumas questões levantadas mais frequentemente pelos discentes dos programas de pós-graduação da ECA em relação ao preenchimento da sua produção intelectual. Caso sua dúvida não esteja contemplada nas questões abaixo, encaminhe um email com o título "FAQ - Sucupira" para pgeca@usp.br.

Essa página será atualizada com as perguntas enviadas pelos discentes.

 

Para que servem esse formulários e para onde vão as informações inseridas neles?
Esses formulários simulam os formulários de preenchimento da Plataforma Sucupira da CAPES e as informações inseridas pelos discentes serão retransmitidas à CAPES através da mesma plataforma.

O que é e para que serve a Plataforma Sucupira?
A Plataforma Sucupira é o local onde são coletadadas as informações sobre os Programas de Pós-Graduação strictu sensu (Mestrados acadêmicos e profissionais e Doutorados acadêmicos) de instituições privadas ou públicas do país. 
Essas informações são usadas para avaliar os Programas de Pós-Graduação, manter uma "memória" da pós-graduação brasileira e possibilitar à CAPES o planejamento de suas políticas em relação à pós-graduação do país.
A plataforma possibilita ainda que a consulta em tempo real das informações sobre todos os programas de pós-graduação do país, de forma ágil e transparente. As informações estão disponíveis em sucupira.capes.gov.br

Por que não posso preencher os dados dentro da própria Plataforma Sucupira?
A Plataforma Sucupira permite acesso apenas ao coordenador de cada programa, com senha única, pessoal e intransferível. 

Por que eu devo informar sobre minha produção nesses formulários?
O preenchimento da produção intelectual pelos discentes foi a forma mais confiável de inserção de dados sobre a produção intelectual dos alunos de todos os Programas de Pós-Graduação da ECA. A possibilidade dos próprios discentes detalharem sua produção intelectual durante a pós-graduação permite que os dados sejam confiáveis, diminuindo a necessidade de recorrência a mecanismos de busca online que podem devolver resultados incorretos, incompletos, inexistentes ou de homônimos.
Além disso, o próprio discente pode definir no preenchimento qual produção é relevante e tem relação com sua pesquisa nos cursos de mestrado ou doutorado e deixar de fora aquelas que julgue dispensáveis ou não relacionadas à pesquisa.

Por que não utilizar para isso os dados presentes no Currículo Lattes do CNPq?
Há duas razões para que não seja utilizado o Lattes para inserção desses dados: em primeiro lugar, a Plataforma Sucupira não importa do dados inseridos no Lattes para os discentes; em segundo lugar, mesmo com a importação os dados que o Lattes pede que sejam inseridos como obrigatórios são diferentes daqueles que o Sucupira necessita, fazer o preenchimento com os dados disponíveis do Lattes levaria a uma incompletude do detalhamento da produção e eventual descarte da mesma para efeitos de avaliação.

Quais problemas seriam decorrentes do não preenchimento detalhado ou do não preenchimento da produção intelectual dos membros dos Programas de Pós-Graduação?
Dentre outros problemas, o programa de pós-graduação que não apresenta produção intelectual é avaliado negativamente pela CAPES, levando a diminuição da nota (as notas variam de 3 a 7), perda de independência do programa para definir suas disciplinas, menor retorno em número de bolsas e auxílios para o financiamento das ações planejadas pelos programas, além do prestígio dentro da própria comunidade acadêmica.

Devo inserir as informações do meu vínculo empregatício atual, como docente em Universidade?
Essa informação não deverá ser inserida nos formulários, pois não se trata de produção intelectual. As informações sobre vínculos empregatícios dos discentes serão informadas na Plataforma Sucupira, mas a fonte será o currículo Lattes.

Devo inserir participação em grupos de pesquisa, projetos ou outra vinculação?
Essas informações não deverão ser inseridas nos formulários, pois não se trata de produção intelectual. A produção resultante da participação em grupos de pesquisa, projetos, etc, deve ser informada e no campo 'Observação' o discente pode informar que se trata de produção vinculada a um grupo de pesquisa, projeto, etc.

A produção intelectual informada deve compreender qual período?
Apenas as produções intelectuais publicadas/realizadas durante o ano de 2016. Não devem ser inseridas produções de anos anteriores ou "no prelo" com publicação/realização prevista para anos posteriores.

Onde eu insiro um capítulo de livro que eu escrevi? Na produção bibliográfica de Livros mesmo?
Exatamente. No formulário 'Livros" devem ser inseridos todos os registros que se referem a livros, seja autoria de obra completa, de capítulo, apresentação, texto de orelha, contracapa, verbete, etc, tudo que se refere à livro. Vale lembrar que são considerados livros as obras com mais de 49 páginas e que livros possuem o número de registro ISBN, portanto não devem ser confundidos com periódicos, folhetos, panfletos e outras publicações que não possuem ISBN.

Devo inserir minha tese de doutorado/dissertação de mestrado entre as minhas produções?
Não. Os trabalhos de conclusão de curso não devem ser inseridos nesses formulários, eles serão informados na Plataforma Sucupira pelos funcionários do Serviço de Pós-Graduação da ECA/USP. Caso seu trabalho tenha sido publicado como livro ou artigo, deve ser inserida essa produção, mas nos formulários específicos de Livro e/ou Artigo em periódico.

Cursos/eventos/palestras/mostras/etc em que eu fui ouvinte/espectador devem ser incluídos?
Não, devem ser inseridas apens produções intelectuais cuja autoria é do discente.

Em que consiste e porque é obrigatório no formulário o campo "Aval Institucional"? A produção deve ter sido feita em co-produção ou tutela do Programa de Pós-Graduação?
O "Aval institucional" não se trata de uma chancela do do programa de Pós-Graduação à produção nem nada desta natureza, é antes a forma como foi possibilitada a produção, se por convite, edital ou seleção. Como todos os outros dados, é solicitado como obrigatório pois a CAPES vê nessa informação um dado relevante para mapear, criar, alterar ou rever políticas públicas da Pós-Graduação do país.