O Profissional da informação: Reflexões sobre Formação e o Mundo do Trabalho

Programa: Ciência da Informação

Área de Concentração: Cultura da Informação

Linha de Pesquisa: Gestão de Dispositivos da Informação

Docente Responsável: Asa Fujino

Descrição:

As tecnologias da informação e comunicação (TIC s), transformaram as formas de produção, acesso e uso da informação de forma avassaladora, exigindo das instituições formadoras profundas reflexões e investigações sobre as novas possibilidades de atuação dos profissionais da informação e seu potencial de inserção no mundo do trabalho. O contexto técnico-científico-econômico-cultural, relacionado tanto à convergência tecnológica, quanto à integração da economia mundial centrada nos mercados de produtos e serviços associados à tecnologia da informação, implantou uma nova dinâmica no mundo do trabalho fundamentada no conceito de polivalência tanto em termos de áreas de conhecimento, quanto de habilidades e competências. Os profissionais da informação, especialmente os bibliotecários, têm sido confrontados com esse ritmo acelerado de mudanças nesta nova economia e nas contradições do mundo do trabalho. A necessidade desses profissionais acompanharem a dimensão da transformação da informação que ultrapassou os espaços tradicionais (bibliotecas, centros de documentação, centros de memória) e agregou outros grupos profissionais, aponta o desafio de se adequar o perfil do profissional da informação, sem descaracterizar a atividade, reelaborar as condições de trabalho e projetar suas possibilidades numa perspectiva de futuro, que está necessariamente atrelado às exigências de tempo e organização no mundo virtual. Ao problematizar o papel das universidades na formação profissional, atualmente, as discussões se polarizam entre aqueles que privilegiam a prática como estratégia de antecipação de inserção do estudante no mercado, e outros que partem do princípio que é necessário formar profissionais reflexivos e críticos capazes de reordenarem, ou de resistirem à realidade do mundo do trabalho que hoje se configura inseguro e caracterizado por eventos que sinalizam para a precarização do trabalho. Assim, trata-se de ver o mundo do trabalho não apenas como o receptor da mão de obra qualificada oriunda da universidade, mas como protagonista importante na formação de futuros profissionais Neste sentido, tomando por base as reflexões da área de Ciência da Informação no Brasil, onde se concentram os profissionais responsáveis pela formação e pelo acesso ao emprego da categoria de profissionais da informação, buscamos aprofundar as questões que a modernidade coloca e investigar as situações qualificadas de trabalho, que devem ser reconhecidas pela universidade, com o objetivo de confirmar ou refutar a correlação entre os fundamentos teóricos e a prática, com a possibilidade de exercer o raciocínio crítico na relação entre a universidade e o mercado de trabalho de forma a contribuir efetivamente para o aperfeiçoamento pedagógico do curso. As questões da formação profissional, os debates sobre os currículos e as interpretações legais quanto ao reconhecimento de uma nova denominação para a profissão estão em processo de negociação. Assim, ao se tratar do espaço e do objeto de trabalho dos profissionais da informação, a questão se amplia e propomos uma investigação que una os estudos sobre a formação, na perspectiva educacional e os desafios demandados pelo mundo do trabalho, que possa oferecer elementos para o desenvolvimento das análises.