Que políticas culturais para o século XXI?

Programa: Ciência da Informação

Área de Concentração: Cultura e Informação

Linha de Pesquisa: Apropriação Social da Informação

Docente Responsável: Lúcia Maciel Barbosa de Oliveira

Descrição:

Percebemos que nas sociedades em que a democracia está instalada, há uma disjunção crescente entre o Estado e a sociedade civil que tem se tornado visível em várias esferas, sobretudo nas políticas públicas que parecem andar a reboque da dinâmica social, dia a dia mais complexa, em decorrência do próprio processo democrático com a constante busca pela ampliação do espaço na arena pública que advém da multiplicidade de desejos por parte dos indivíduos e grupos. Nesse contexto, como pensar as políticas culturais públicas? Parece-nos que nelas o descompasso entre suas proposições e ações e a multiplicidade social ganha contornos mais nítidos. Qual deve ser o papel do Estado em relação à cultura, o que se consubstancia nas políticas culturais? Qual sua relevância? Quais são os vetores necessários ou desejáveis para desenhar políticas culturais para o século XXI em sociedades democráticas? Há possibilidade de serem propulsoras de novas dinâmicas? Buscamos, ainda, refletir sobre o papel dos espaços legitimados como são os museus, bibliotecas, salas de concerto, centros de cultura em um contexto em que o desenvolvimento e a disseminação das novas tecnologias de informação e comunicação têm permitido que o sistema de produção cultural produção, circulação, uso, apropriação da cultura ganhe novos contornos, habilitando canais para que a arte e a cultura floresçam em novas dinâmicas fora dos espaços consagrados e dos circuitos tradicionais, que não têm mais o privilégio de definir balizas e critérios para inclusão ou exclusão no sistema.