Histórico

PPGCOM: pioneirismo na pós-graduação em comunicação

O Programa de Mestrado em Ciências da Comunicação da ECA-USP - PPGCOM foi o primeiro da área de Comunicação do Brasil, criado em 8 de janeiro de 1972. Já o Programa de Doutorado em Ciências da Comunicação iniciou suas atividades em 1 de agosto de 1980. 

Já no final da década de 1980, o curso de pós-graduação em Ciências da Comunicação da ECA-USP era responsável por 48% da pesquisa acadêmica (mestrado e doutorado) de Comunicação do país. Esse foi um dos indicadores que levou as agências de fomento à pesquisa, como CAPES, CNPq e FAPESP, ao reconhecimento da área de Comunicação com área de pesquisa autônoma, deixando de ser, como até então, uma “especialidade da Sociologia”. O estatuto científico do campo da Comunicação estava garantido.

Outra contribuição a ser registrada é aquela que diz respeito à diversidade tanto dos assuntos/temas investigados quanto de seu tratamento teórico-metodológico inovador ou exploratório. O Programa de Ciências da Comunicação da ECA adotou também pioneiramente a pesquisa elaborada pormeio de de linguagens não-verbais, dissertações e teses em forma de vídeo, filmes etc. – como suportes de produtos de elaboração científica e discurso acadêmico. A diversidade temática e teórico-metodológica foi e é garantida e completada por um outro fator bastante relevante: o da diversidade de origem de seus alunos. A Pós-Graduação em Ciências da Comunicação, desde o início até os dias atuais, tem se caracterizado por ser um curso para onde acorrem estudantes de todo o país, do exterior, principalmente de países da América Latina. 

A característica de ser um programa aglutinador da pluralidade de interesses e experiências faz dele uma matriz de estudos que dá origem e potencializa os esforços regionais no ensino e pesquisa de Comunicação. O papel da incubadora de novos cursos de pós-graduação e da revitalização de antigos tem sido uma das marcas distintivas da história da Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da ECA: é referência nacional e internacional e fomenta a pesquisa em regiões que até então pouco ou nada tinham de conhecimento produzido na área. 

As diretrizes mais promissoras da Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da ECA são o permanente trabalho de reformulação e atualização do perfil do curso oferecido, tendo em vista os constantes desafios provocados pela diversidade temática e pela abordagem interdisciplinar de seus objetos de estudo. Destaque-se que estes objetos estão em permanente interação com os interesses e demandas da sociedade. Essa diversidade encaminhou-se no sentido da criação de Áreas de Concentração e Linhas de Pesquisa que começaram a ser delineadas ainda em um período marcado pela ausência de uma visão mais abrangente da Comunicação e até de uma nomenclatura científica minimamente firmada. 

Reestruturação a partir dos anos 2000

Desde 2001 teve início uma ampla e profunda reestruturação do PPGCOM no sentido de ajustá-lo aos novos desafios e demandas da pós-graduação da área e, principalmente, com o objetivo de dar continuidade ao seu papel de liderança e de inovação no conjunto da área de pós-graduação brasileira e internacional na área da Comunicação. A partir de 2006, o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação (PPGCOM) se reorganiza em três Áreas de Concentração: Teoria e Pesquisa em Comunicação, Estudos dos Meios e da Produção Mediática e Interfaces Sociais da Comunicação, cada uma delas com Linhas de Pesquisa específicas. Essa estrutura de curso atravessou mais de uma década e fomentou projetos e grupos de pesquisa inovadores nas Ciências da Comunicação. Entre os grupos, centros e núcleos de pesquisa podemos citar: O grupo de pesquisa do Arquivo Miroel Silveira, Núcleo de Comunicação e Educação, O Centro de Pesquisa em telenovela, o Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho, entre outros.

A partir da consolidação desse percurso, o PPGCOM renova-se e avança em sua proposta de ensino e pesquisa instituindo em junho de 2019 a nova estrutura curricular. Uma área de pesquisa: Ciências da Comunicação e três linhas de pesquisa:

1 - Comunicação, redes e linguagens: objetos teóricos e empíricos;

2 - Processos Comunicacionais: tecnologias, produção e consumos;

3 - Comunicação: Interfaces e Institucionalidades.

Essa nova estrutura, mais dinâmica, ampla e integradora, atende aos desafios que os estudos da comunicação enfrentam na contemporaneidade.