"Diário de Kioto", uma experiência transformada em livro e exposição

A exposição Diário de Kioto é fruto da estadia do pintor e docente do Departamento de Artes Plásticas (CAP), Marco Giannotti como professor visitante da Universidade de Kyoto, no ano letivo de 2011. A obra  teve como ponto de partida o caderno de anotações do artista que reúne fotografias e colagens.

Uma série de colagens, fotografias e textos são mostradas, de modo que o observador pode partilhar um pouco das experiências vivenciadas pelo artista no outro lado do mundo.

A experiência no Japão resultou não só na exposição, como também em uma série de sete artigos para o jornal O Estado de S. Paulo que, posteriormente, foi transformado em livro. Segundo o professor Giannotti, a exposição e o e livro são obras complementares. “A exposição dá uma visão complementar às imagens que estão expostas no livro. Além do fato que as impressões sensoriais são diferentes quando as imagens são expostas na galeria e exibidas no livro”, conta o professor.

 

 

A ideia de documentar sua estadia no oriente surgiu da necessidade que o artista tinha de criar um diário onde  pudesse relatar a sua experiência. “Também pelos limites que a língua me impunha eu me tornei um voyeur visual onde o registro da imagem se tornou crucial para sedimentar a experiência de vida”, relata o Giannotti. Um dos principais objetivos do artista era demonstrar os pontos de convergência e divergência da arte ocidental e oriental.

O artista foi convidado a ministrar aulas de Cultura Brasileira, em português, na Universidade de Kyoto. Giannotti avalia sua experiência na Oriente como enriquecedora, uma vez que toda a sua educação e conhecimento acumulado até então tinham sido pautados na cultura e educação ocidental. O professor afirma que utiliza e pretende aumentar ainda mais o uso de técnicas e conhecimentos aprendidos em Kyoto para serem utilizadas em suas aulas.

 

por Bruna Alencar
fotos: Marco Giannotti