"O futuro já chegou". Em cerimônia de posse, diretora da ECA fala sobre desafios para os próximos anos

Brasilina Passarelli reforçou a importância de dialogar com outras áreas do conhecimento e desenvolver tecnologias digitais transmídia

 

Eu diria à Casa, como disse àqueles que se juntaram a este governo: nada tenho a oferecer senão sangue, trabalho, lágrimas e suor.

 

A frase do discurso de Winston Churchill foi lembrado pela nova diretora da ECA, professora Brasilina Passarelli, em cerimônia de posse ocorrida no dia 22 de abril na Sala do Conselho Universitário da USP. “É o que eu também tenho a oferecer”, disse a docente recém-empossada. Sem a presença de público devido à pandemia de Covid-19, o evento foi acompanhado pelo YouTube por dirigentes da USP e docentes, funcionários e estudantes da ECA.

Desde fevereiro, Brasilina Passarelli, docente do Departamento de Informação e Cultura (CBD) e Eduardo Monteiro, professor do Departamento de Música (CMU) são, respectivamente, diretora e vice-diretor da ECA, com mandato até 2025. No discurso de posse, Brasilina falou sobre sua motivação para assumir a direção da unidade em um contexto pandêmico. “A pandemia aflora a consciência de finitude e fragilidade da vida e então é hora de inspirar os pares e contribuir para que a ECA, minha casa desde sempre, conquiste maior protagonismo tanto internamente como além dos muros da Universidade”.
 


(Da esq. p/ dir.) Brasilina Passarelli, diretora da ECA; o vice-diretor da ECA, Eduardo Monteiro, o vice-reitor Antonio Carlos Hernandes; o reitor Vahan Agopyan; e o secretário-geral da USP, Pedro Vitoriano de Oliveira, na Sala do Conselho Universitário. 
 

A diretora da ECA lembrou da sua trajetória acadêmica e profissional. Após considerar outras carreiras, o interesse em trabalhar em museus a fez optar pelo curso de Biblioteconomia. “Entrei cineasta e saí bibliotecária… na ECA descobri um mundo de possibilidades”. Pouco depois de formada, ingressou como bibliotecária em uma grande empresa de engenharia, experiência que acabou por inspirar seu projeto de mestrado, realizado na década de 1980 sob orientação do professor Fredric Michael Litto.

O doutorado aprofundou a formação transdisciplinar da docente nas áreas de Comunicação, Informação e Educação, sob as quais articula seus projetos de pesquisa nas últimas décadas. Após passagem pela Apple Brasil, ingressa em 1999 como docente da ECA. Na Escola, foi chefe e vice-chefe do CBD e vice-diretora da ECA na última gestão, além de integrar diferentes comissões e colegiados. Atualmente, é vice-presidente da Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica (AGUIA) e, desde janeiro de 2020, coordenadora na ECA da ISchools. Também é coordenadora científica do NACE – Núcleo de Apoio à Pesquisa sobre Novas Tecnologias de Comunicação Aplicadas à Educação – Escola do Futuro.
 

Sobre iniciar a gestão em meio a uma pandemia, "é hora de inspirar outras gerações, inspirar os pares, e contribuir para que a ECA conquiste mais protagonismo do que ela já tem", destacou a diretora. 
 

Brasilina também falou sobre os seus planos para a ECA, que deseja transformar em um “hub transmídia de comunicações, artes, informação e cultura digital” que possa inspirar trabalhos criativos e inovadores. Lembrou também a importância que a Comunicação tem tido em diversas áreas. Para a docente, “a ECA tem que assumir um papel mais central e também conversar mais com as outras áreas do conhecimento da Universidade” e, ao mesmo tempo, expandir a presença da Escola no cenário internacional.

“Eu não quero o sangue de vocês [...] suor, sem dúvidas. E, quanto às lágrimas, elas às vezes são inevitáveis diante da situação trágica em que estamos”, disse o reitor da USP, Vahan Agopyan. O reitor saudou a nova Diretoria da ECA e agradeceu a disposição para assumir “de maneira altruísta e generosa” a gestão da unidade em tempos de pandemia. “Eu fico muito contente quando vejo uma nova diretora assumindo e, já com bastante ímpeto, apresentando projetos, ousando fazer modificações e propondo novas visões. Isso é fantástico”.

Ao final, foi feita uma homenagem da ECA à professora Brasilina, escrita pela servidora Maria de Lourdes Bianchi Ávila, responsável pela área de eventos da ECA, em colaboração com Ana Claudia Fernandes Gomes, aluna de doutorado, e Aparecida de Fatima Souza, secretária do CBD. “Sabemos que tem um grande desafio pela frente, pois conduzir a Escola de Comunicações e Artes não é tarefa fácil. É estar num contexto complexo, exercendo papel de liderança e tendo que lidar com desafios diários. [...] Por estes e tantos outros motivos, queremos parabenizá-la e desejar-lhe boa sorte.” A cerimônia foi encerrada com uma apresentação do Grupo Coral Comunicantus, com a música Fantasia, de Chico Buarque. 

Confira a reportagem do Jornal da USP sobre a posse da diretoria da ECA e assista, a seguir, à íntegra da cerimônia:

 

 

 

 

Fotos: Marcos Santos/USP Imagens