Ex-alunos da ECA apresentam obras em Istambul

Theo Craveiro e Clara Ianni, ex-alunos que se graduaram recentemente pela ECA, apresentam obras de sua autoria na 12ª Bienal Internacional de Istambul, uma das mais prestigiadas do mundo na área de artes.

 


Formigueiro, Ideia Visível, 1956 - Theo Craveiro

 

Com alcance internacional, participam da mostra artistas de diferentes culturas e tendências. Este ano, a curadoria do evento é de Adriano Pedrosa, do Brasil, e Jens Hoffman, da Costa Rica.

Theo apresenta o trabalho Formigueiro, Ideia Visível, 1956, elaborado como parte integrante de seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do ano de 2009, sob orientação da professora Ana Maria Tavares, do Departamento de Artes Plásticas (CAP).

 A peça se baseia no quadro concretista Ideia Visível (1956), do artista Waldemar Cordeiro, e apresenta um viveiro para uma colônia de formigas. Por um lado, se vê uma composição abstrata e racional, fruto da visão de uma arte autorreferente e autônoma. Por outro, existe um formigueiro, dependente de uma série de cuidados, como alimentação, temperatura e umidade, contrapondo uma visão mais processual e sistêmica da arte. O objetivo principal é colocar em convivência duas formas de pensar historicamente antagônicas e dialéticas.
               
Para Theo, tudo foi uma surpresa. O jovem artista conta que não esperava participar de um evento tão importante com tão pouco tempo de carreira. Segundo ele, uma das ações do curador Adriano Pedrosa foi justamente tentar misturar obras de artistas consagrados com trabalhos de artistas mais novos ou em meio de carreira. “Meu desejo agora é fazer novos trabalhos e continuar expondo. Acho que a gente tem que ir fazendo as coisas do jeito que acredita e os resultados vão acontecendo”, afirma Theo.
 

Trabalho Abstrato - Clara Ianni
 
Na bienal, Clara expõe a obra Trabalho Abstrato, resultado de TCC apresentado em 2010 e também orientado pela professora Ana Maria Tavares. A obra consiste em uma pá com um buraco no formato de um quadrado, tornando o objeto potencialmente inútil para o trabalho. O título é derivado do conceito de Karl Marx para trabalho abstrato, em oposição ao trabalho concreto.
               
Segundo Clara, foi muito interessante ter um trabalho feito em um contexto mais experimental, como o universitário, exposto em um evento de escala internacional. “A imersão em um ambiente mais profissional, no qual se trabalha com uma equipe treinada e uma produção intensa, a oportunidade de conhecer e dialogar com outros artistas, com experiências completamente distintas das suas, foram algumas das particularidades que chamaram minha atenção”, conta. Para ela, ao participar da bienal é possível perceber quão espetacular determinados âmbitos da cultura têm se tornado.
               
As duas obras estão expostas no pavilhão Abstraction, dedicado à arte abstrata. A mostra se concentra nos prédios 3 e 5 do complexo conhecido como Antrepo, em Istambul. A bienal fica em cartaz até o dia 13 de novembro.
 
Confira nos links abaixo outras obras dos dois artistas:
 
 
 
por Leonardo Maran