Você sabe o que é weasel? E-book recém-lançado analisa essa controversa estratégia publicitária

Publicação de professor do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo está disponível para download gratuito

 

Em um dicionário inglês-português, a primeira tradução que se encontra para o termo weasel é doninha, um pequeno mamífero parente do furão. A palavra também é usada para se referir de maneira pejorativa a pessoas consideradas traiçoeiras. Já weasel words são termos ou expressões que evitam dizer algo de maneira direta, podendo induzir a equívocos. Na publicidade, é o nome que se dá a palavras ou expressões que revestem de ambiguidade os conteúdos produzidos para atrair consumidores de um determinado produto ou serviço.

“Embora as expressões weasel sejam um recurso linguístico publicitário consagrado e legítimo quando não incorrem contra as normas vigentes, há os que as associam à mentira e indução ao erro”, afirma o professor Gino Giacomini Filho na introdução do e-book Publicidade: o jeito weasel de ser, que acaba de ser lançado. Na publicação, o docente do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP) comenta diferentes dimensões e desdobramentos dessa estratégia publicitária por meio da análise de peças de propaganda antigas e contemporâneas.

 

capa Publicidade o jeito weasel de ser

 

Um dos principais exemplos de weasel é o uso de verbos e adjetivos que associam produtos naturais a benefícios não comprovados para a saúde. Enquanto a propaganda anuncia que o produto “ajuda a prevenir” determinado mal, uma nota em letras minúsculas no rodapé da página ou na tela da tevê adverte que as imagens do anúncio são meramente ilustrativas. Aliás, a estratégia weasel não se expressa apenas nas palavras empregadas, mas em todo o conjunto do conteúdo publicitário, englobando imagens e sons. Basta lembrar dos sucos de caixinha, cujas embalagens são sempre estampadas por frutas frescas.

Ao longo das três partes do livro (Expressões weasel na publicidade; O asterisco na propaganda comercial e O irreal na publicidade), Giacomini discute a estratégia weasel a partir de uma série de pontos de vista, incluindo o aspecto legal e da defesa do consumidor. O autor mostra como o emprego de ferramentas dissimuladas na propaganda pode afetar a representação e a percepção da realidade, com efeitos que vão muito além das relações de consumo. A grande manipulação das imagens de modelos e produtos em anúncios é uma das manifestações mais extremas da estratégia, tendo como consequência a promoção de padrões inatingíveis de beleza.

Para ler Publicidade: o jeito weasel de ser na íntegra, faça o download gratuito da publicação no Portal de Livros Abertos da USP.